DESGASTE

O deputado Henrique Alves costuma aparecer quando o fato é negativo. Dessa vez, o parlamentar potiguar é alvo de matéria…

O deputado Henrique Alves costuma aparecer quando o fato é negativo. Dessa vez, o parlamentar potiguar é alvo de matéria nacional por ter sua campanha financiada por empresas que estão envolvidas no escândalo da Petrobras. Dessa vez, Henrique tem a companhia de Betinho Rosado no escândalo.

IMPEACHEMENT

Gravíssima a denúncia do deputado José Dias a respeito de possíveis negociações envolvendo o impeachment na Assembleia Legislativa. Afinal, alguns deputados realmente mudaram de posição em relação ao que pensavam sobre o mandato de Rosalba. Se há troca de vantagens, é preciso investigar.

DÚVIDA

Uma denúncia de negociação para evitar o impeachment não seria despropositada. Afinal, os mesmos deputados que querem ‘salvar o RN’, que diziam que o Estado estava quebrado e diante de um caos administrativo, quando se deparam com uma situação real e concreta de tirar o RN do caos e de salvar o Estado, recuam sem justificativa consistente.

FUNDAMENTAÇÃO

Entrevistada ontem no Jornal Verdade, da RedeTVRN, a juíza Hadja Rayane, presidente da Associação de Magistrados do RN, afirmou que o pedido de impeachment, formulado pelo MARCCO, tem fundamentação jurídica, argumento cobrado por parlamentares para decidir posição a respeito da votação do processo.

MUDANÇA

Do ex-reitor da UERN, mossoroense Walter Fonseca, ao avaliar o resultado da eleição suplementar: “Em 30 de setembro de 1883, Mossoró fez a abolição dos sem títulos, pois os escravos não eram cidadãos. Em 4 de maio de 2014, fez a abolição dos com títulos”. Acrescente-se à frase que o responsável por permitir essa abolição mais recente foi o juiz Herval Sampaio.

EDITAL

As únicas empresas que participaram da concorrência milionária para recolher o lixo de Natal, insistiram em manter preços bem acima dos que a própria Urbana havia estabelecido. De acordo com o edital, somente isso seria suficiente para desclassificar as empresas e republicar um novo edital. O que é que tá havendo?

URBANA

A Urbana publicou um edital já com preços estabelecidos. Nesse caso, o que deveria ter ocorrido era um leilão inverso, com os preços para baixo. Mas as empresas preferiram reajustar os preços acima do básico considerados referência e dizem que não vão baixar. E olhe que o TCE já havia detectado quase R$ 30 milhões de ‘sobrepreço’ ou superfaturamento. E agora?

EXIGÊNCIA

Incrível a capacidade da SEMOB de criar problemas para o natalense. Insatisfeita com a imobilidade que impôs a uma parte da cidade, a SEMOB inventa de exigir uma série de documentos dos moradores e quer que eles se dirijam até a Ribeira para provar que moram nos locais próximos às obras e precisam chegar em casa. Depois de tudo, se ficar realmente comprovado que eles são vítimas da incompetência, podem ganhar um adesivo que permita ao morador entrar em casa. É o cúmulo.

Compartilhar: