Desmanche de carros roubados é encontrado em Capim Macio; Dupla é presa

Segundo informações da Deprov, nos dois primeiros meses do ano 672 veículos foram roubados no Rio Grande do Norte

JTYUJ56656U

Policiais Civis da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos de Veículos e Cargas (Deprov) cumpriram mandado de busca e apreensão na tarde desta sexta-feira (4) em uma residência onde funcionava um desmanche de veículos, localizada na rua Professor Aldo Ferreira de Melo, no bairro de Capim Macio.

No local foram encontrados nove veículos: um Uno branco e um prata, um Cobalt branco, um Meriva preto, uma Hilux prata, uma Hilux preta sem motor, dois Golfs, um branco e um prata, e uma motocicleta off road amarela sem emplacamento. Na residência duas pessoas foram presas. Angelo Márcio Reinaldo de Oliveira, 40 anos, e Ricardo Estevam de Sena, vulgo Japa, 34 anos. Este último estava de posse de uma arma calibre 38. Angelo Márcio foi autuado pelos crimes de receptação e adulteração de veículos, já Ricardo foi autuado por porte ilegal de arma.

Segundo informações da Deprov, nos dois primeiros meses do ano 672 veículos foram roubados no Rio Grande do Norte, uma quantidade bem superior ao registrado no mesmo período de 2013, que foi 526. Em Natal, que lidera a lista, os bairros onde as ocorrências mais aconteceram foram, respectivamente, Lagoa Nova, Nossa Senhora da Apresentação, Alecrim e Capim Macio. Na relação de municípios mais visados pelos assaltantes, vêm logo atrás da capital potiguar as cidades de Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaíba e Ceará Mirim.

Os carros mais visados pelos bandidos são os chamados “populares”. O Gol (da Volkswagem), o Pálio (da Fiat), o Uno (da Fiat) e o Corsa Classic (da Chevrolet), lideram a lista dos mais roubados. O horário em que as ações ocorrem é variado, mas acontecem normalmente entre o final da tarde e o início da noite (entre 17h e 20h).

Em entrevista recente ao Jornal de Hoje, o delegado titular da Deprov, Anastásio Gomes, afirmou que ações para acabar com quadrilhas que roubam veículos serão feitas durante todo o ano. “A Deprov está trabalhando. Estamos investigando e vamos prender essas quadrilhas. Mas isso não é uma coisa feita da noite para o dia. Leva tempo, temos que investigar cada assalto para identificar como eles realizam as ações e irmos identificando cada um. Não adianta fazer uma operação dessas e prender apenas algumas pessoas que fazem parte da quadrilha. Queremos tirar todos das ruas e estamos trabalhando para isso”.

Anastásio ainda lembrou que muitas vezes os veículos roubados são utilizados para outros crimes. “Muitas vezes os carros roubados fazem parte de um plano que eles pretendem executar. Querem roubar algum local e então escolhem um carro para esse roubo, para caso a polícia consiga identificar o carro, seja mais complicado rastreá-los. Também existem aqueles carros que são “encomendas” de terceiros”, finalizou.

Compartilhar: