Detran/RN identifica aumento no número de autuações de natureza gravíssima

Em 2013, ao todo, foram 29.395 autos de infração nas vias sob jurisdição do Órgão

Em virtude da Lei Seca, dirigir sob a influência de álcool gerou 1.397 infrações. Foto: Divulgação
Em virtude da Lei Seca, dirigir sob a influência de álcool gerou 1.397 infrações. Foto: Divulgação

O Detran/RN registrou no ano de 2013 um aumento no número de infrações considerada gravíssimas segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O levantamento realizado pelo Setor de Estatística do Órgão indica que, nas vias sob jurisdição do Departamento, os técnicos realizaram 16.940 autos.

Levando-se em consideração os números totais, significa que 57,63% dos autos registrados no ano de 2013 foram transgressões consideradas gravíssimas. Em 2012, esse número correspondia a 42,39%. No ano passado, ao todo, foram 29.395 autos de infração.

Dentre os tipos de autuação que são considerados de natureza gravíssima, destacam-se no estudo os itens “conduzir o veículo registrado que não esteja devidamente licenciado” e “dirigir sem possuir CNH ou permissão para dirigir”, que geraram respectivamente 6.403 e 2.656 autuações. Em virtude da Lei Seca, dirigir sob a influência de álcool gerou 1.397 infrações.

O que pouca gente sabe é que existem algumas dessas infrações que ocasionam a suspensão do direito de dirigir. No entanto, é importante ressaltar que os condutores não são suspensos imediatamente, pois têm amparo legal para apresentar defesa e recorrer das multas, conforme a Resolução 182/2005 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Entretanto, quem tem a CNH suspensa perde o direito de dirigir por um período que pode variar de um mês a um ano. Se o infrator for reincidente no período de 12 meses após o cumprimento da suspensão, as penalidades aplicadas variam de seis meses a dois anos.

Para ter a CNH restituída, os condutores devem fazer o curso de reciclagem previsto na resolução 285 do Contran. Após cumprir o período de suspensão e o curso, o motorista terá sua CNH de volta. Os dados que alimentaram o estudo do Detran/RN foram coletados até o dia 16/12/2013.

Compartilhar:
    Publicidade