Dez anos da morte do último governador que soube como fazer o RN se desenvolver

- A data de hoje marca o décimo aniversário do falecimento do professor Cortez Pereira, o último político do Rio…

- A data de hoje marca o décimo aniversário do falecimento do professor Cortez Pereira, o último político do Rio Grande do Norte que, chegando ao cargo de governador entre os anos de 1971 e 1974, demonstrou – com ideias e projetos que, apesar de desprezados ou distorcidos pelos governos seguintes, resistem ao tempo e se mostram viáveis até hoje – um real interesse em promover o desenvolvimento econômico do Estado e melhorar a qualidade de vida do nosso povo.

- Foi Cortez Pereira, por exemplo, quem anteviu o turismo a nossa principal vocação econômica, numa época em que Natal ainda estava completamente fora de rota e não possuía o mínimo de infraestrutura para recepcionar os visitantes. Coube ao seu governo criar e fazer funcionar uma empresa estatal – a Emproturn – cuja missão maior de divulgar nacionalmente as nossas belezas naturais e despertar nos turistas brasileiros a vontade de conhecer esse recanto aprazível do Nordeste.

- Também foi o governo de Cortez Pereira que teve, na prática, a preocupação de adaptar as atividades primárias do Estado à realidade do nosso clima e condições ambientais do semiárido.

- Numa época em que o governo federal já se dedicava (como o faz até os dias de hoje, sem perspectivas de sucesso) a executar uma política demagógica de reforma agrária baseada tão somente na redistribuição da terra e deixando o assentado dependente da agricultura de subsistência, coube ao governador Cortez Pereira dar os primeiros passos para uma reforma na estrutura fundiária do campo visando criar no Rio Grande do Norte uma classe média rural, com fontes de renda asseguradas por culturas estáveis e permanentes (como caju, coco e bicho da seca).

- Infelizmente, seu projeto nesse sentido não foi levado adiante pelos governos seguintes. Ainda assim, do pouco que ficou, floresceram condições para que o Estado viesse a se transformar num dos maiores produtores de castanha de caju, um dos produtos que hoje lideram nossa pauta de exportações.

- Quando ninguém sequer imaginava a carcinicultura como uma atividade possível de ser explorada no Brasil, foi o governador Cortez Pereira quem teve a iniciativa de criar o Projeto Camarão, formando uma equipe de técnicos para estudar e aprender tudo sobre o assunto, de modo a que o Estado viesse a transferir tecnologia para quem quisesse investir num negócio promissor. Graças a esse pioneirismo, o Rio Grande do Norte chegou a se posicionar nas últimas décadas entre os maiores produtores mundiais do crustáceo.

- Como responsável pela produção de quase 100 por cento do sal marinho brasileiro, atividade econômica com tradição de mais de 300 anos nos municípios de Macau e Areia Branca, o Rio Grande do Norte jamais conseguiu sair da mera condição de produtor de matéria prima. Os grandes lucros decorrentes do beneficiamento e da industrialização do sal acabam todos nas mãos da indústria cloroquímica do Sul e do Sudeste. O governador Cortez Pereira quis reverter essa realidade e encontrou na implantação de uma fábrica de barrilha (o que seria viável pela existência de grandes reservas de calcário no Estado) o caminho para criar, a partir da mistura e da transformação dos dois minerais num insumo essencial, uma indústria de base na região salineira.

- Partiu dele a iniciativa de convencer o governo federal a criar a Alcanorte, uma empresa de economia mista que, associada com grupos internacionais, cuidaria da montagem de uma fábrica nos arredores da cidade de Macau, capaz de abastecer de barrilha todo o mercado brasileiro.

- Os governos que se seguiram não concluíram o megaprojeto e até hoje restam insepultos o esqueleto do que seria a indústria capaz de transformar o nosso sal numa riqueza efetiva a ser multiplicada e desfrutada por muitos milhares de norte-rio-grandenses.

- É uma pena que na classe política potiguar não tenham surgido, nos últimos 40 anos, governantes capazes não de imitar, mas de pelo menos dar sequência às ideias e aos projetos que Cortez Pereira deixou, todos eles mais do que viáveis.

Setor da cerâmica vermelha planeja ações estruturantes

- Para planejar ações coletivas de estímulo ao fortalecimento de unidades produtoras de telhas e tijolos no Estado pelos próximos quatro anos, o Sebrae/RN reuniu nesta quinta-feira um grupo de empresários do setor na “Oficina de Estruturação do Novo Projeto de Cerâmica Vermelha do RN”.

- Além de ceramistas, o evento também contou com a presença de representantes de entidades parceiras do projeto, como o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) – órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai).

- “Nosso objetivo é definir com os empresários o que iremos fazer daqui para frente, já que esse é um segmento muito importante para a nossa economia”, afirma o diretor técnico do Sebrae/RN, João Hélio Cavalcanti.

- De acordo com o último levantamento do Sebrae, há 186 empresas ligadas a essa atividade em funcionamento no Rio Grande do Norte. O Sebrae tem desempenhado um papel importante no setor, disponibilizando consultorias e adequando as ações das empresas à legislação ambiental.

Natal sedia neste final de semana evento voltado o empreendedorismo digital

- Natal recebe a partir de hoje um dos melhores eventos de empreendedorismo digital do país.

- Em sua primeira edição na capital potiguar, o “Startup Weekend” trás para a cidade grandes nomes do empreendedorismo cibernético do Brasil.

- O evento superou as expectativas e está com ingressos esgotados, conforme a organização. A abertura será logo mais às 18:00 horas e se estende até o domingo, na sede do Instituto Metrópole Digital, localizado no campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

- Os 80 participantes terão 54 horas para desenvolver suas ideias e transformá-las em um negócios. O “Startup Weekend” já vem sendo realizado em mais de 100 países e com mais de mil edições. No Brasil, até agora, foram realizadas 18 edições.

- A edição natalense contará com convidados renomados do mercado de startups e inovação do país. Como palestrante o evento trará Edson Mackeenzy, fundador e diretor executivo do portal Videolog.tv, a maior comunidade de produtores de vídeos do Brasil, coautor do livro “Internet – O Encontro de Dois Mundos”.

Compartilhar: