Dia Mundial da Alergia tem programação na capital potiguar

Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) promove neste sábado, uma programação especial em Natal, Shopping Midway Mall, das 14h às 19h

rt5hy5u67i4e67

Em levantamento feito pela Organização Mundial da Alergia em 30 países, com uma população estimada de 1,2 milhões de indivíduos, foi constatado que 22% da população sofre de algum tipo de alergia a alimentos, medicamentos, cosméticos, poeira, acáros e outros.

Para conscientizar e informar a população sobre o tema, a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) promove neste sábado (12), quando é comemorado o Dia Mundial da Alergia, uma programação especial em Natal, Shopping Midway Mall, das 14h às 19h.

O evento pretende conscientizar a população sobre algumas questões relacionadas à alergia, desde suas causas até o tratamento. Na programação da iniciativa estão previstas várias atividades, com distribuição de folders, palestras, exibição de vídeos e orientações médicas sobre a doença.

A alergia consiste em uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo pode se manifestar de várias formas e levar a variadas doenças, dentre elas, a rinite alérgica, definida como uma inflamação do revestimento interno da cavidade nasal, que é desencadeada pelo contato com os alérgenos (ácaros, pelos de animais, fungos e outros).

O médico alergologista, Roberto Pacheco, afirma que medidas como a de ter um local de convívio limpo, com pouca poeira e sem umidade são importantes para evitar que a alergia se manifeste. “Essa época do ano existe um aumento nos casos de alergias respiratórias, causada pelos ácaros, por isso é determinante ter um ambiente limpo e assim evitar crises” disse.

De acordo com o especialista, a genética é um fator determinante para que se tenha alguma alergia. “Se um casal de alérgicos tem um filho, a chance de a criança ser alérgica é de aproximadamente 50%. Mesmo que nenhum dos pais apresente alergia, ainda assim a criança pode ter manifestações da doença. Hoje temos vacinas para alergias, com tratamento de 2 a 3 anos, dependendo das necessidades do paciente” afirmou o doutor.

Compartilhar: