No Dia Mundial do Meio Ambiente, que tal praticar ações realmente protecionistas? – Marcos Aurélio de Sá

- A data de hoje marca a passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente, constituindo-se, portanto, num momento propício para…

- A data de hoje marca a passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente, constituindo-se, portanto, num momento propício para a sociedade procurar se conscientizar mais da necessidade de praticar ações que ajudem a preservar os recursos naturais indispensáveis à boa qualidade de vida no planeta, e para que nosso Poder Público passe a adotar políticas reais de incentivo que levem as pessoas, as empresas e demais instituições a aderir a comportamentos ecologicamente corretos.

– Enquanto aqui em Natal e no Rio Grande do Norte ainda não se observa, da parte dos órgãos governamentais e da classe política, quase nenhuma iniciativa razoável que inspire na população o sentimento coletivo de amor e proteção à natureza, no Estado de São Paulo esta semana está sendo votado um novo código ambiental que garante aos proprietários de terras em áreas consideradas de preservação permanente o direito ao recebimento de compensações financeiras para que eles mesmos zelem e cuidem da proteção da propriedade.

– O atual Plano Diretor de Natal estabelece que cerca de 40 por cento do território do município compõem áreas de preservação permanente, dentro das quais são proibidas construções de moradias ou outros equipamentos, no entanto sem estabelecer qualquer tipo de compensação para os proprietários desses imóveis. Ainda por cima, a Prefeitura cobra dessas pessoas, todos os anos, infalivelmente, o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

– Diante desse fato, tais áreas acabam abandonadas, terrenos baldios frequentemente tomados por invasores que nelas estabelecem barracos e casebres fazendo surgir novas favelas, o que só ajuda a deteriorar ainda mais as condições ambientais na periferia da cidade.

– As autoridades governamentais, infelizmente, parecem ignorar essa realidade.

Consumo de cerveja deve crescer em até 100% durante o período da Copa

– As empresas distribuidoras de bebidas na grande Natal, especialmente as que abastecem o comércio varejista de cerveja, estimam em até 100 por cento o aumento do consumo do produto no corrente mês, em razão dos jogos da Copa do Mundo, especialmente se a seleção brasileira se classificar para as etapas finais da competição.

– A rede de lojas do Supermercado Nordestão, que sozinha responde pela venda de 62 por cento da cerveja comercializada (no varejo) na região metropolitana, já cuidou de reforçar seus estoques.

– Entre os fabricantes, a grande disputa que se prenuncia nesse período é para saber qual marca de cerveja liderará o consumo em Natal. A competição será entre a Skol e a Itaipava.

Eleição da nova Diretoria da Anorc será dia 13, no Parque Aristófanes Fernandes

– Está confirmada para a noite de sexta-feira da próxima semana, no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, a eleição da nova Diretoria da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc), principal e mais antiga entidade representativa do empresariado rural potiguar.

– Mais uma vez, não haverá disputa, graças à formação de uma chapa de consenso encabeçada pelo agropecuarista Antônio Teófilo de Andrade (atual vice-presidente), que terá como vice o médico veterinário Orlando Cláudio Procópio (que já presidiu a Associação Norte-rio-grandense de Criadores de Ovinos e Caprinos e ocupou a Superintendência Federal da Agricultura do RN).

– Também acontecerá a eleição dos novos membros do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal da Associação.

– A posse dos eleitos será dia 17, às 20:00 horas, no Auditório Arnor Francisco, seguindo-se um coquetel.

Miranda Computação constrói em Natal seu Centro de Distribuição

– Está em fase adiantada de construção, às margens da rodovia BR-101 – em frente ao Monumento aos Reis Magos, na entrada de Natal – o Centro de Distribuição da rede de lojas do grupo Miranda Computação, líder de vendas no mercado de informática e mídia digital no Rio Grande do Norte.

– Ocupando um terreno de 50 por 150 metros, o prédio tem dois pavimentos e dispõe de cerca de 5 mil metros quadrados de área para depósito de mercadorias, tendo sido projetado para atender futuras ampliações.

– A inauguração acontecerá no segundo semestre.

Sebrae/RN inicia luta pelo aproveitamento do Augusto Severo

– Convocado pelo presidente Sílvio Bezerra, o Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae/RN realizará amanhã ao meio-dia uma reunião extraordinária com o objetivo de discutir ações em favor da transformação do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Augusto Severo num novo Centro de Convenções para a região metropolitana de Natal.

– Integrado pelos presidentes das mais representativas associações da classe empresarial do Rio Grande do Norte, bem como por autoridades governamentais da área econômica e pelos superintendentes do Banco do Brasil, Caixa Econômica e Banco do Nordeste, o Conselho do Sebrae/RN está decidido a encampar a luta pelo aproveitamento de parte do antigo aeroporto civil como um espaço que venha a incrementar o desenvolvimento do Estado, em vez de ser simplesmente encampado pela Base Aérea de Natal.

– Na reunião de amanhã o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN, Marcelo Queiroz, apresentará e colocará em discussão um projeto que visa converter a área num grande centro de eventos.

Retração da Petrobras em Mossoró deve gerar desemprego em massa

– O deputado estadual Leonardo Nogueira pronunciou discurso ontem na Assembleia Legislativa abordando a onda de demissões que está se verificando em vários setores da economia mossoroense, em razão da perda de ritmo dos investimentos da Petrobras na exploração de petróleo e gás na região Oeste do Rio Grande do Norte.

– Segundo o parlamentar, se prevê um total de 800 demissões de trabalhadores nas empresas prestadoras de serviços à Petrobras, somente em Mossoró, o que está trazendo desassossego a muitas famílias.

– “Mesmo diante de uma crise anunciada, pois esse problema vem se acentuando há três ou quatro anos, não vejo ninguém tomar medidas para reverter essa situação”, declarou Leonardo Nogueira, complementando que “Mossoró está no meio desse turbilhão de demissões que poderá resultar em falência de várias empresas, pois a crise já atinge o setor de hotelaria e a construção civil, além de provocar a desvalorização dos imóveis”.

Compartilhar: