‘A diferença entre Messi e Neymar é a mesma que há entre Maradona e Pelé’

Em entrevista a jornal de seu país, Maradona declarou, ainda, que ganhar do Brasil na final da Copa seria como “ter um orgasmo”

20100728190203874rts-2

Mal chegou ao Brasil para acompanhar a Copa do Mundo e o ex-jogador argentino Maradona, de 54 anos, já soltou uma de suas declarações polêmicas. Em entrevista ao jornal esportivo “Olé”, de seu país, ele disse que a “A diferença entre Messi e Neymar é a mesma que há entre Maradona e Pelé”. E, quando instigado pelo repórter a comentar sobre uma recente declaração de Pelé sobre “Messi ter um estilo brasileiro”, rebateu: “Que? Diga ao Pelé que ele volte ao museu. Que Leo é mais argentino do que eu”.

A declaração sobre a superioridade dos jogadores argentinos perante os brasileiros foi dada ao ser questionado sobre o que Neymar representa para ele. Maradona respondeu: “Neymar hoje é Pelé… A grande figura do futebol brasileiro. Depois, o ponto forte do Brasil está do meio campo para trás”. Mas Neymar está abaixo de Messi, afirmou o repórter. Prontamente, Maradona concordou: “Claaaaro. A distância entre Messi e Neymar é a que existe entre Maradona e Pelé”.

Apesar da soberba, o ex-craque argentino acredita que o Brasil vai estar na final. “Ganhar a final do Brasil seria como ter um orgasmo”, brincou. Maradona só mediu palavras ao opinar sobre o trabalho do técnico da seleção argentina Alejandro Sabella: “Opinar de fora não é bom. Quando eu fui técnico da Argentina (de 2008 ate a última Copa) não gostava que me dissessem como tinha de jogar. Agora, pouco importa que eu diga isso a ele. Ele saberá, pois está todos os dias com os jogadores nos treinos. Isso é respeitar. A única coisa que quero é que o técnico da seleção seja Sabella. Que não seja Billardo (Carlos), nem Grandona (Julio, presidente da Associação de Futebol Argentino)”.

Ele disse, ainda, que gosta da equipe que representa a Argentina nessa Copa. Que estão mais maduros e experientes na comparação com o Mundial anterior, na África em 2010, quando os comandava. “Mas, se nos Mundiais não demonstrar experiência, não serve para nada. Tens que se apresentar ao jogo e correr”, complementou.

Como tem feito em outras entrevistas recentes, não poupou críticas à organização do Mundial no Brasil e disse que não há clima de festa para a realização dos jogos. Para Maradona, “o cimento engoliu o ser humano, como a Fifa está engolindo a bola”. E seguiu: “erraram em tirar tanto das pessoas e investir em cimento (numa referência ao estádios).

A Argentina estreia na Copa do Mundo no próximo domingo, contra a Bósnia, no Maracanã. A partida, válida pelo grupo F, será às 19h.

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade