Dilma, Aécio e Campos devem gastar R$ 738 milhões em campanha

Os três principais candidatos à Presidência da República – Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Eduardo Campos (PSB) –…

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os três principais candidatos à Presidência da República – Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Eduardo Campos (PSB) – deverão gastar, juntos, R$ 738 milhões nas campanhas de 2014. Segundo declararam os partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) neste sábado, o total de gastos entre os 11 candidatos a presidente deverá ser de quase R$ 1 bilhão.

A campanha à reeleição da presidente Dilma será a mais cara: o limite de gastos estabelecido foi de R$ 298 milhões. A do PSDB tem teto de R$ 290 milhões, enquanto a de Eduardo Campos será de R$ 150 milhões.

Os três juntos representam 80,5% do valor das campanhas de todos os candidatos à Presidência, que, no total, gastarão até R$ 916,7 milhões. O limite de gastos, no entanto, não é necessariamente atingido em todas as campanhas.

Advogados que representam os partidos têm até as 19h deste sábado para protocolar os registros de candidatura no TSE. O pedido deve incluir, dentre outros documentos, a declaração de bens, a previsão de gasto máximo da campanha, a plataforma de governo (necessária também para os candidatos a governador de Estado e do Distrito Federal), as certidões criminais fornecidas pelas Justiças Federal, Estadual ou Distrital e pelos Tribunais competentes e uma fotografia em formato digital.

Dilma gastou menos em 2010

O valor declarado por Dilma Rousseff para a campanha deste ano é maior do que o teto de 2010, quando ela concorreu pela primeira vez ao cargo. Na época, o PT limitou os gastos em R$ 191 milhões – e a campanha vitoriosa acabou custando R$ 176,5 milhões. O PSDB, por sua vez, que tinha como candidato José Serra, fixou o valor em R$ 180 milhões, e gastou R$ 129,6 milhões

Confira o teto de gastos estabelecidos por cada candidato nas eleições de 2014:

Dilma Rousseff (PT): R$ 298 milhões
Aécio Neves (PSDB): R$ 290 milhões
Eduardo Campos (PSB): R$ 150 milhões
Eduardo Jorge (PV): R$ 90 milhões
Pastor Everaldo (PSC): R$ 50 milhões
Eymael (PSDC): R$ 25 milhões
Levy Fidélix (PRTB): R$ 12 milhões
Luciana Genro (PSOL): R$ 900 mil
Zé Maria (PSTU): R$ 400 mil
Rui Costa Pimenta (PCO): R$ 300 mil
Mauro Iasi (PCB): R$ 100 mil

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade