Dilma Rousseff critica o ‘governo dos melhores’ de Marina Silva

Durante ato eleitoral, a presidente afirmou que é preciso "compromisso" para governar o país, em uma menção indireta à adversária

A candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), concede entrevista a jornalistas no Palácio do Alvorada, em Brasília. Foto: Divulgação
A candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), concede entrevista a jornalistas no Palácio do Alvorada, em Brasília. Foto: Divulgação

A presidente Dilma Rousseff deu nesta quinta-feira uma mostra de que deve passar a criticar mais diretamente a adversária Marina Silva (PSB), em segundo lugar na preferência do eleitorado, segundo pesquisa Ibope divulgada na terça-feira. Dilma discursou em um encontro da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), em Brasília. E atacou a defesa que a ex-senadora faz de um governo dos “melhores”, sem partidarismos.

Dilma manteve em seu discurso todas as referências aos governos do PSDB: a comparação com “a época deles” foi repetida em diversos momentos. Aécio foi o principal alvo. Mas a petista, a seu modo, embutiu no pronunciamento uma crítica. “Essa história que você acha os bons ou os melhores sem aferição não está certa. Como é que eu vou fazer uma política para agricultura familiar com quem não defende agricultura familiar?”, disse a presidente.

Na entrevista coletiva dada após o evento, Dilma tentou explicar a menção – e acabou se enrolando. “Eu acho que as pessoas não têm de ser más, não tem de ser… todas as pessoas são… podem ser boas ou podem ser más. Mas as boas pessoas podem não ter compromisso. A pessoa é muito boa, mas o compromisso dela é com outra coisa”, afirmou.

No pronunciamento a presidente pediu que os agricultores familiares defendam seu governo das “mentiras” espalhadas por opositores. “Eles escondem o ódio atrás da desinformação e do derrotismo”, disse ela, no primeiro discurso de campanha após a pesquisa Ibope que mostra a ascensão da candidata do PSB.

O ato de campanha durou pouco menos de duas horas. Cinco ministros acompanharam Dilma no evento. Aos membros da Contag, que declarou apoio à reeleição de Dilma, ela prometeu manter a política de reforma agrária e a concessão de benefícios aos assentados.

Fonte: Veja

Compartilhar: