Dilma ignora protesto, dá pontapé inicial e inaugura Arena das Dunas

No discurso de abertura do novo estádio, a presidente ignorou os protestos de servidores federais que aconteceram do lado de fora da arena desde antes de a festa começar

Arena das Dunas foi inaugurada e domingo já terá rodada dupla. Foto:Divulgação
Arena das Dunas foi inaugurada e domingo já terá rodada dupla. Foto:Divulgação

A presidente Dilma Rousseff (PT) inaugurou nesta quarta-feira, 22, em Natal (RN), a Arena das Dunas, o primeiro dos seis estádios que não foram utilizados na Copa das Confederações a ficar pronto. Do lado de fora da arena, cerca de 400 pessoas protestavam contra o uso de dinheiro público na Copa. A manifestação foi pacífica, segundo a Polícia Militar.

Durante a cerimônia, Dilma afirmou que pretende inaugurar o Beira-Rio, em Porto Alegre (RS) até o fim do mês e deu um voto de confiança à Arena da Baixada, que recebeu uma ameaça da Fifa de ser retirada da Copa caso as obras não avançam dentro do esperado até 18 de fevereiro.

“É como dizia Nelson Rodrigues: não é possível apostar no pior. O governador [do Paraná, Beto Richa], o prefeito [de Curitiba, Gustavo Fruet] e o empresário vão fazer estádio no prazo. O Brasil tem que apostar a seu favor, não contra”, afirmou a presidente.

Em seu discurso, Dilma lembrou que a Arena das Dunas ficou 3% mais barata do que o orçamento inicial. “Fiquei encantada com a beleza desse estádio. Fiquei encantada que saiu 3% abaixo do preço orçado, que vai ganhar selo da ecologia, que é um estádio ambientalmente sustentável. Fiquei encantada que este estádio empregou 4 mil trabalhadores, entre eles apenados.”

Antes que fosse perguntada sobre a possibilidade de que a arena se transforme um elefante branco, Dilma afirmou que o estádio não serve apenas para jogos de futebol. “É importantíssimo ter jogos de futebol. Mas aqui é local para convenções, reuniões, exposições. Esse estádio vai contribuir para aumentar potencial turístico que Natal tem.”

Os administradores da arena já trabalham com a possibilidade de realizar duas feiras na arena durante o primeiro semestre. O Ministério do Turismo calcula que o turismo em Natal possa aumentar 20% por causa da Copa do Mundo.

Antes de dar o pontapé inicial, Dilma recebeu a Brazuca, bola oficial da Copa, das mãos de dois operários. Um dos trabalhadores entregou uma caneta à presidente e pediu para ela autografar sua camisa da seleção brasileira. O outro operário ganhou um autógrafo no macacão.

Na hora do chute, a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM) quase roubou as atenções, dando um toque de leve na bola. Dilma colocou a Brazuca no meio do campo de novo, pediu para os demais convidados se afastarem e deu um chute na direção da lateral.

Esperada para as 17h, a presidente chegou por volta das 18h50 e fez um tour pelas novas instalações. Acompanhada pela governadora Rosalba Ciarlini, visitou os camarotes VIP, a tribuna de honra e o piso térreo, onde foi montada uma exposição de artistas locais.

Antes de se despedir do estádio, a presidente ainda deu uma resposta ríspida a um repórter que perguntou se ela estava preocupada com a taxa cambial. “Meu assunto aqui é futebol. Sobre questões econômicas, vai ser em Davos”. Após a cerimônia, Dilma embarcaria para a Suíça, onde pretende participar do Fórum Mundial, em Davos, e se reunir com o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Falta de documentação

Nos últimos dias, a arena esteve em meio a uma polêmica sobre a liberação do habite-se, documento que permite que sejam realizados eventos dentro do estádio. Na sexta-feira, o MP (Ministério Público) recomendou à Prefeitura de Natal que o habite-se não fosse emitido. Após uma vistoria realizada em dezembro, os promotores constataram que a arena não atendia todas as recomendações de acessibilidade. A porta dos boxes, por exemplo, não tinham a largura recomendada para cadeirantes.

A vistoria do Corpo de Bombeiros nas instalações foi feita na manhã da inauguração. Os bombeiros checaram o atendimento às normas de segurança e a adequação da construção com o que estava projetado. O relatório dos bombeiros foi encaminhado para a Semurb (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo). A prefeitura deve emitir o habite-se até sexta-feira, para que o estádio possa receber os dois jogos que estão programados para domingo.

Protestos do lado de fora

Um grupo formado por cerca de 400 pessoas, segundo a PM, fez um protesto na Avenida Salgado Filho, em frente ao estádio. Os manifestantes carregavam faixas com dizeres contra a realização da Copa em Natal e a favor de mais investimentos em políticas públicas. Um dos cartazes dizia “Da Copa eu abro mão, queremos mais dinheiro para saúde, segurança e educação”. No meio do grupo, algumas pessoas levavam bonecos que representavam a presidente Dilma e a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini.

Durante o percurso da passeata, o viaduto Quarto Centenário foi pichado com a frase “#naovaitercopa”, uma alusão a um movimento que está sendo organizado pela internet para organizar uma série de protestos contra o Mundial no sábado, dia 25. A manifestação bloqueou as duas faixas da avenida por volta das 15h, mas os manifestantes não conseguiram entrar no estádio. Mesmo assim, gritaram para políticos que chegavam ao estádio.

A PM montou um forte esquema de segurança, do qual participaram cerca de 600 homens, de acordo com a corporação. Os policiais montaram um cordão de isolamento, com grades de ferro, para manter os manifestantes longe do novo estádio. De acordo com a PM, o protesto foi pacífico.

Fonte:Uol

Compartilhar:
    • Djalma L.Macedo

      Muito bonito! enquaaaanto o Walfredo Gurgel…

    Publicidade