DISPUTA – Túlio Lemos

A reunião do DEM foi marcada pelo clima de animosidade entre os ex-amigos José Agripino e Rosalba Ciarlini. Disposto a…

A reunião do DEM foi marcada pelo clima de animosidade entre os ex-amigos José Agripino e Rosalba Ciarlini. Disposto a salvar o partido da extinção no RN, o pai de Felipe foi intransigente na defesa da renúncia de Rosalba à reeleição. Ele quer o partido livre da chapa majoritária para se aliar ao PMDB de Henrique.

FRATURA

A decisão do DEM, de negar legenda para Rosalba Ciarlini disputar a reeleição, fraturou uma relação de quase 50 anos de amizade entre Agripino e o casal governador Carlos Augusto e Rosalba Ciarlini. Independente do que venha a ocorrer, a relação sofreu um golpe fatal e irreversível, provocado por interesses distintos. A política os uniu e a reeleição os separou.

ESTRATÉGIA

O senador José Agripino pôs em votação apenas duas escolhas: Coligação proporcional ou candidatura majoritária. A governadora Rosalba Ciarlini tentou usar uma estratégia para protelar a decisão partidária, que seria definir a posição somente na convenção, que está marcada para o dia 15 deste mês. Como a proposta não foi aceita, a Rosa saiu da sede do partido para não chancelar sua inevitável derrota.

CONVENÇÃO

A estratégia da Rosa é fruto de uma esperança numérica. O grupo de Agripino provou que é predominante no diretório estadual. Porém, a turma de Rosalba imagina que é possível reverter a situação junto aos delegados do DEM no interior, que são os convencionais que realmente decidem a posição partidária.

DERROTA

O placar da derrota da candidatura de Rosalba na reunião do DEM, reforça o quanto a governadora está absolutamente isolada e distante do partido; assim como reforça a força do senador José Agripino neste cenário de divisão partidária. 45 votos contra a reeleição é expressivo; a derrota foi marcada pelos 10 votos favoráveis à reeleição. A força do poder não funcionou dentro de seu próprio partido.

EMOCIONAL

Rosalba vai levar adiante o desejo de ser candidata. Vai ‘bater chapa’ na convenção. Seu choro e sua saída da sede do DEM, revelam que seu grupo vai usar o emocional para estabelecer uma vitimização da Rosa, que considera uma traição de Agripino contra ela.

VITÓRIA

A decisão do DEM, tomada na reunião de hoje, representa uma vitória parcial do acordão de Henrique e Wilma. Afinal, ao negar legenda para Rosalba ser novamente candidata, o DEM avança para o processo de aliança com o PMDB na chapa proporcional, na tentativa de salvar os mandatos de seus parlamentares. A vitória é parcial porque a deliberação oficial do DEM será na convenção.

PERGUNTA

Sherloquinho ficou intrigado com declarações de alguns integrantes do DEM. Questionados a respeito do voto, eles afirmavam que o voto era secreto e omitiam o posicionamento. O detetive pergunta: “Se a votação não fosse secreta, Rosalba teria sido derrotada?”

IPANGUAÇU

O acordão de Henrique e Wilma perdeu mais uma no interior. A vitória do candidato de Robinson e Fátima pode até não representar um sentimento generalizado; não há como fazer essa avaliação. Mas simboliza uma recusa pontual ao agrupamento de forças, que contou com as maiores lideranças em seu palanque e perdeu a eleição, repetindo o que já havia ocorrido em Mossoró.

ESCÂNDALO

A deputada Fátima Bezerra sinaliza que a disputa pela única cadeira no Senado, será na base da comparação. Hoje a irmã de Tetê disse na 94 FM que seu nome nunca apareceu em escândalos. Pura verdade, que remete a uma breve avaliação de sua concorrente direta, Wilma de Faria, colecionadora de escândalos de corrupção em seu currículo político.

 

Compartilhar: