Ditadura golpeia a Venezuela

Publiquei no meu blog do Portal No Ar, às 9h41 da manhã da quinta-feira, uma lista parcial com os nomes…

Publiquei no meu blog do Portal No Ar, às 9h41 da manhã da quinta-feira, uma lista parcial com os nomes de estudantes sequestrados pelas milícias governamentais de Nicolás Maduro, o capataz bolivariano da Venezuela, hoje um país em guerra civil.

Os bandoleiros oficiais prenderam e feriram jovens que protestam contra a corrupção, a inflação – a maior do mundo – e o totalitarismo comunista implantado no país. O povo está nas ruas em apoio aos seus líderes civis, Henrique Capriles e Leopoldo López.

Durante a quinta-feira inteira fiquei retuitando os apelos da sociedade venezuelana, através de duas dezenas de personalidades que sigo no Twitter, inclusive os dois políticos citados acima. As fotos da massa e da repressão são de impactos distintos.

Por um lado, o positivo, revela que em todas as cidades do país há manifestações cívicas e pacíficas com multidões ocupando as ruas; e por outro, o negativo, é repugnante ver jagunços covardes agredindo até adolescentes. Ontem mataram dois manifestantes.

Hoje cedo, a estatística da violência governamental aumentou para 125 o número de estudantes desaparecidos, levados pelas milícias de Maduro para local ignorado. As famílias em desespero pedem para que seus filhos sejam devolvidos com saúde.

A reação dos venezuelanos à repressão por intermédio das redes sociais repercutiu no mundo inteiro. O governo tenta bloquear a internet, inclusive perseguindo estabelecimentos que ofereçam serviços de Wi-Fi. Até tirou a rede Twitter do ar.

Canais de TV que apoiam a oposição tiveram seus sinais interrompidos e as emissoras de rádio simplesmente foram desligadas. “Ironia: celebrar o Dia da Juventude morrendo e o Dia Mundial do Rádio calando”, disse a locutora Jeska Lee Ruiz.

A ousada e ridícula ordem do caminhoneiro presidente para prender o oposicionista Leopoldo López, acusado de mentor das manifestações, gerou revolta nos cidadãos do país, que a expressaram nas redes sociais. LL ficou em casa aguardando os carrascos.

“Não tens coragem para me prender? Ou esperas ordens de Havana? Pois te digo: a verdade está do nosso lado”, postou López no Twitter diretamente para a conta oficial do chefe do governo. Depois disse: “Sigo na Venezuela e seguirei nas ruas!”.

O general Carlos Peñaloza, que mora em Coral Gables (Miami) desde a ascensão de Hugo Chávez ao poder, e que pelo Twitter estimula a oposição, postou mensagem dirigida aos militares das Forças Armadas, principalmente aos oficiais de comando.

“Exército, atenção oficiais da minha Força, se as tropas disparam contra o povo cairão no mesmo desprestígio da Guarda Nacional”, disse o general. Ao final da mesma postagem no Twitter, Peñaloza fez um pedido aos soldados: “Expulsem os cubanos!”.

Milicianos e guerrilheiros cubanos entraram na Venezuela desde o governo Chávez, infiltrados entre soldados que prestariam serviços humanitários e médicos que atenderiam nas periferias. No segundo caso, num programa similar ao “Mais Médicos”.

A rede social do Twitter sofreu ataques o dia inteiro ontem no país, por hackers bem pagos pelo governo de Caracas. As contas de quem apoia a oposição e as manifestações foram censuradas e bloqueadas; o próprio acesso ao microblog caiu quase totalmente.

“Editem suas fotos no Facebook ou Instagran, enviem por e-mail ou WattsApp, não permitam que nos deixem sem informação”. Aspas da jovem atriz Prakriti Maduro – o sobrenome nada tem com o analfabeto ditador da Venezuela – apelando no Twitter.

Prakriti é uma boa revelação do cinema venezuelano, protagonista do excelente filme “Habana Eva” (Eva de Havana em tradução livre), obra de 2010 da já consagrada diretora Fina Torres e que venceu o Festival de Cinema Latino, em Nova York.

No Brasil, militantes de esquerda, do PT e PCdoB, postaram apoio ao comunismo de Estado na Venezuela e denunciaram que a oposição tentava um golpe. A melhor resposta aos imbecis é a mensagem da jornalista Luz Mely Reyes, direto de Caracas.

“Inventar um golpe de Estado em marcha nos obriga a perguntar: como, se os militares são os que podem dar golpe e sua maioria estava desfilando nas ruas?”. Os quartéis venezuelanos há muito foram contaminados pelo comunismo importado de Cuba. (AM)

Racismo

O combate ao preconceito com os negros não deve ser uma luta doméstica e intestinal. A indignação no caso do jogador Pinga é louvável e urgente, mas deveria já ter ocorrido na semana passada quando Balotelli saiu de campo chorando pelos mesmos motivos.

Racismo II

Grande parte da imprensa brasileira tratou a imagem do jogador ganês-italiano (com os olhos inundados em lágrimas) como uma reação à mera substituição no jogo contra o Nápoli. Seu choro foi provocado pelas vaias e guinchos emitidos das arquibancadas.

Delinquência

A carioca Sininho está negando participação em partidos e em organizações que promovem vandalismo. Acho que a pobre moça é só um produto do meio socialmente insalubre em que cresceu, afinal seus pais militavam no PT há alguns anos.

Mensalão

Mais quatro embargos infringentes solicitados por mensaleiros do PT foram negados pelo plenário do STF (alô, manés, não foi só Joaquim Barbosa). Mais um está na fila e vai também ser rechaçado, o de Zé Dirceu querendo cair fora da Papuda.

Maquinando

Começaram as teorias, as teses “sem interesse” partidário, de jornalistas e intelectuais que aprenderam com o tempo de simpatia ideológica a nunca acusar os partidos de esquerda de tramarem a tomada do poder e implantar um regime comunista no Brasil.

Venezuela

Por que será que nenhum dos chefes de Estado da América Latina sairam em defesa do povo venezuelano, dos estudantes agredidos e sequestrados pelas milícias de Maduro? Porque estão alinhados numa só tática, usando exatamente os mesmos subterfúgios.

Reeleição

O deputado federal Henrique Alves (PMDB) estava na dependência de uma conversa com a cúpula nacional do PT, principalmente a presidente Dilma Rousseff, para saber se sua recondução à presidência da Câmara conta com o aval de toda a base aliada.

Deu na CNN

As imagens da gang do MST tentando invadir o STF geraram o seguinte comentário de um âncora do canal CNN, nos EUA: “Esse é o retrato amargo de um país conhecido no mundo inteiro por seu carnaval, seu futebol, suas praias e suas belas mulheres”.

Copa 14

Vazou um documento da FIFA em que aparece uma tabela da Copa com os jogos em Curitiba transferidos para Porto Alegre, Belo Horizonte e São Paulo. Há também rumores de que uma segunda sede poderá ser excluída até meados de março.

Compartilhar:
    Publicidade