Divulgador da Telexfree se acorrenta e faz greve de fome no Acre

Morador de Santa Catarina viajou 3 mil km para pedir liberação do dinheiro investido na empresa, bloqueada por suspeita de pirâmide financeira

Aerci Olms, antes de se acorrentar às grades do Fórum de Rio Branco. Foto:Divulgação
Aerci Olms, antes de se acorrentar às grades do Fórum de Rio Branco. Foto:Divulgação

Um radialista de São Carlos, cidade do Oeste de Santa Catarina, deu início nesta quarta-feira (15) a uma greve de fome por tempo indeterminado junto às grades do Fórum de Rio Branco, no Acre, às quais se acorrentou. O objetivo é recuperar os R$ 25 mil que investiu na Telexfree, acusada de ser, possivelmente, a maior pirâmide financeira da História do País.

Aerci Arreal Olm, de 33 anos, não está sozinho: a maioria das 700 pessoas que ele atraiu para a Telexfree também tiveram prejuízo, afirma.

“Tivemos uma série de pessoas que não receberam nem R$ 1″, disse Olm.

211 dias

A Telexfree teve as contas bloqueadas por uma decisão liminar (provisória) da 2ª Vara Cível de Rio Branco no dia 18 de junho de 2013. O pedido foi feito pelo Ministério Público do Acre (MP-AC), que em outro processo pediu a extinção do negócio e o ressarcimento dos divulgadores – como são chamados os associados – que não conseguiram recuperar os investimentos.

Os representantes da empresa sempre negaram irregularidades.

Após a decisão, Olm divulgou vídeos expressando sua indignação. Num deles, em novembro, atacava a juíza responsável pela decisão de bloquear o negócio – “uma fraude” –  e a promotora que pediu o bloqueio – “deveria ter sua foto no dicionário ao lado do da palavra incompetente”.

Nesta semana, após quinze dias de preparação e uma vaquinha para comprar a passagem aérea até Rio Branco, o divulgador juntou ação às palavras.

“A gente ficava aguardando a decisão e quando começou a demorar eu tomei uma decisão”, conta o radialista. “Eu me acorrentei às 7h e só saio em duas circunstâncias: com uma solução para o nosso caso ou literalmente desmaiado.”

Olm já não quer dizer quem está certo ou errado na disputa entre Justiça e Telexfree. Espera apenas um consenso que permita recuperar o que ele e seus quase 700 seguidores perderam.

Mas ele desconfia que a Justiça é que está sendo injusta com um negócio que, segundo ele, mexeu com o que não devia.

“Parte de mim acredita que afetamos o sistema.”

Fonte:IG

 

Compartilhar: