Doença pode fazer com que pessoas desenvolvam mais de 200 dentes

Um caso de odontoma – tumor dentário – na Índia fez com que o médico extraísse 232 dentes de um garoto

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um menino de 17 anos teve 232 dentes extraídos de sua boca, na Índia. A operação, que durou sete horas, foi para combater um odontoma composto, tipo de tumor benigno que, em uma única cavidade da gengiva, são formados vários dentes. Essa doença, que é considerada uma malformação nos tecidos dentários e, normalmente, não apresenta sintomas.

No entanto, segundo informações da rede britânica BBC, Ashik Gavai, o garoto indiano, chegou ao consultório com um inchaço na mandíbula do qual já se queixava há meses. Ainda segundo a publicação, acredita-se que o inchaço se deu porque o número de dentes encontrados dentro do tumor era “exorbitante”. De acordo com a literatura medica, até então só havia casos de odontoma onde se extraíram, no máximo, 37 dentes.

Tipos e grupos afetados

“Os tumores do tipo composto são caracterizados por vários dentículos (dentes pequenos) envolvidos por uma massa de tecido fibroso”, diz Alessandro Silva, mestre e especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pela UNICAMP.

O grupo mais afetado por essa doença é o das mulheres, crianças e adolescentes. Por serem, na maioria das vezes, assintomáticos, esses tumores podem ser identificados quando o dente não nasce, por conta de posição anormal dos dentes ou em radiografias de rotina.

E, embora seu tratamento seja relativamente seguro, os especialistas ainda não sabem ao certo porque uma pessoa o desenvolve. “A sua origem é desconhecida, mas acredita-se que algum distúrbio na época da formação dos dentes como traumas, infecções, ou pressões podem transformar alguns desses dentes nessa massa tumoral”, afirma Alessandro.

A pessoa que desenvolve o odontoma deve recorrer a cirurgia. “O tratamento do tumor deve ser sua total remoção cirúrgica, sendo raros os casos de retorno da doença”, diz o dentista. Normalmente o maior problema envolvendo a presença desses tumores é a fragilidade dos ossos atingidos, que ficam mais suscetíveis a fraturas. Outro agravante é que o tumor pode atrapalhar a erupção dos dentes vizinhos às lesões. “Mais um motivo para a cirurgia, pois a remoção desses tumores pode proporcionar o retorno à normalidade da região”, diz o especialista.

Fonte: Terra

Compartilhar: