Dois bicudos não se beijam

Quando adversários civilizados – de verdade ou no faz de conta – ocupam o mesmo palanque trocam indiretas e fazem…

Quando adversários civilizados – de verdade ou no faz de conta – ocupam o mesmo palanque trocam indiretas e fazem afagos diplomáticos. Foi o que ocorreu ontem na viagem da presidente da República a Pernambuco.

Dilma Rousseff dominou na visita às obras da refinaria Abreu e Lima. Falou sobre os investimentos da “nossa gestão para desenvolver o país e melhorar a vida do nosso povo”.  Marcou a parte política do discurso com palavras de admiração a dois aliados dela que agora se contrapõem à liderança do governador Eduardo Campos.
Sublinhou o trabalho de ambos “na conquista de investimentos para o desenvolvimento estadual”.  Nominou com entusiasmo os “agentes do dinamismo”: senadores Humberto Costa (PT) e o petebista Armando Monteiro, neto (*).

Em seguida, na cerimônia no estaleiro Atlântico Sul, localizado também no Complexo Portuário de Suape, o anfitrião delimitou espaços.
Presidenciável do PSB, ele não foi deselegante. Fustigou, porém, a senhora Rousseff em dois momentos:
1. Caprichou nos elogios a Lula da Silva, “grande artífice do desenvolvimento da indústria naval” no Nordeste;
2. Sobre investimentos no estado lembrados pela senhora Rousseff, Campos não deixou por menos: “O dinheiro não é do governo federal nem do estadual; é dos cidadãos.”
A senhora Rousseff fez de conta que não ouvira. Continuou a enviar beijinhos para o público que aplaudia o orador.

(*) Armando, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria, é candidato ao Executivo pernambucano apoiado pelo Palácio do Planalto.

>>>

A troca acordada
Solução consensual para líder do PSDB na Câmara.
O baiano Antonio Imbassahy (foto) foi ungido após a desistência de Domingos Sávio (MG) e Vanderley Macris (SP).
Retiraram-se da disputa em nome da unidade da bancada.

Imbassahy, deputado no primeiro mandato, sucede ao paulista Carlos Sampaio. Assume em fevereiro na instalação da nova sessão legislativa do Congresso.

>>>

Só na aparência
Em verdade, em verdade, o birô da coluna voz diz.
No gabinete de ministro da Fazenda, o ítalo-brasileiro Guido Mantega é apenas um fantoche.

Dilma Rousseff acumula a Presidência da República com a titularidade da pasta.

 

- Bem, quando se examina Aécio Neves, uma conclusão é inevitável: trata-se de político agregador.
- Amanhã, o PTB entra em rede nacional de rádio (20h às 20h10) e tevê (20h30 às 20h40).
- Veja só a habilidade da ministra das Relações Institucionais em instante crucial da negociação do acordo o Congresso votar a Lei Orçamentária Anual. A parlamentares peemedebistas e democratas que resistiam à forma do acerto, Ideli Salvatti (PT-SC) mandou o seguinte recado, conforme o deputado Danilo Forte (PMDB-CE): “Se não votarem como devem, nós vetaremos.”
- José Serra (PSDB-SP) começou a campanha para deputado federal.
- O PDT rejeitou dois convites para tratar da eleição para a Presidência da República. Um era para falar com Gleisi Hoffmann (Casa Civil). O outro seria interlocução com Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência da República). O partido vai ao Palácio “ou qualquer outro local, mas se for para dialogar com Dilma”, proclama o comandante nacional da sigla, Carlos Lupi.
- Mantenha cerrada vigilância sobre as amizades de seu filho. O companheiro da balada pode ser um agente do tráfico de drogas.
- Lançado pelo PV, Eduardo Jorge pode participar da corrida à Presidência da República. Ele foi deputado (estadual e federal) quando era filiado ao PT de São Paulo e secretário municipal de Meio Ambiente sob os governos José Serra e Gilberto Kassab.
- Informe à espera de confirmação: em 2014, o preço do álcool vai subir entre 13% e 15%.
- Para refletir: “Sou uma pessoa de prazos curtos e pequenas metas” (Paolla Oliveira, atriz brasileira).

Compartilhar: