Domingos ganha salário de astro no Catar e leva vida de xeque

Acredite: o Catar está transformando o zagueiro Domingos em um ídolo nacional. Visto com ressalvas no Brasil, por seu estilo…

Zagueiro se destaca pelo vigor físico. Foto:Divulgação
Zagueiro se destaca pelo vigor físico. Foto:Divulgação

Acredite: o Catar está transformando o zagueiro Domingos em um ídolo nacional. Visto com ressalvas no Brasil, por seu estilo truculento em campo, o ex-santista ganhou até fã-clube particular no país árabe, onde joga desde a metade do ano passado defendendo o Al-Kharitiyath, que não está entre os maiores do futebol local.

Mas a vida de milionário de Domingos no Catar não se resume aos milhares de fãs. Ele ganha lá um salário compatível a de estrelas como Alexandre Pato, Luís e Valdivia.

“É que o pessoal gostou de mim e topou renovar o contrato por um valor bem alto. Seria absolutamente impossível ganhar aí no Brasil o salário que tenho por aqui”, admite Domingos, que mora em uma casa com quadras de tênis e futebol, sauna, piscina, academia…

Na garagem, o zagueiro tem uma BMW X5 e uma Evoque, modelo recém-lançado pela Land Rover. “O clube me deu uma X5, que eu repassei para minha mulher. Aí, resolvi me dar de presente uma Evoque. Sempre adorei esse carro, mas tinha medo de comprá-lo aí no Brasil por causa da violência.”

No deserto

Depois de 18 meses no Catar, Domingos não faz planos de voltar ao Brasil. “Já deixei claro para o pessoal daqui que renovo o contrato quantas vezes eles quiserem”, assegura o baiano de 28 anos, que mora com a mulher, três filhos e a sogra.

“O mais engraçado é que eu vim para cá morrendo de medo, porque havia lido que o Iraque ficava próximo. Então, eu imaginava bombas passando pela minha casa. Mas a vida aqui é perfeita”, define.

Domingos vive na cidade de Doha e já curtiu alguns programas bem inusitados. “A cada duas semanas, pego minha família e passo o dia no deserto, para andar de camelo. É diversão garantida.”

Expulsão? Nunca mais

Mais surpreendente do que ver Domingos ocupar status de ídolo é constatar que o zagueiro já passou um ano e meio no futebol árabe e ainda não foi expulso. “É um recorde, algo inédito em toda a minha carreira”, reconhece o grandalhão, com bom-humor.

“Quando eu me pego pensando, fico impressionado. Foram sete amarelos e nenhum vermelho. Para completar, já marquei três gols, todos de cabeça”, completa o ex-beque da Lusa.

A explicação para a fase fair play, segundo o zagueiro, não tem a ver com camaradagem dos árbitros. “Pelo contrário. A gente fala mal dos juízes brasileiros, mas os daqui são muito piores. Eu continuo jogando firme, mas não chego atrasado para as divididas”, explica.

Domingos perdeu quatro quilos desde que deixou o Brasil — passou de 89 kg para 85 kg. “Isso me deu velocidade. Estou mais rápido, mais esperto”, festeja. “E tem mais: sei que não sou o melhor zagueiro do mundo, mas também não me acho pior do que aqueles de ponta”, diz.

Fonte:UOL

Compartilhar: