Dono de restaurante em Natal é exemplo de combate ao sedentarismo

Edilson Félix já participou das principais corridas e maratonas do país, incluindo a Corrida de São Silvestre, em São Paulo

6Corr

Segundo Ministério da Saúde, no Brasil, 54,5% dos homens estão acima do peso e 16,6% são obesos. Lutando para fugir dessa estatística, Edilson Félix, proprietário de um restaurante no bairro de Lagoa Nova, fez uma cirurgia de redução de estômago e perdeu 90 quilos.

Depois do procedimento, resolveu mudar sua vida e para não voltar a engordar decidiu praticar algum esporte e escolheu o atletismo. Declaradamente viciado na prática esportiva, Edilson participou de várias competições profissionais da área. Ele confessa que se considera um atleta e, além disso, é graduado em Gastronomia pela Universidade Potiguar (UnP).

Edilson já participou de diversas corridas em Natal, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. “Tendo dinheiro e tempo a gente vai pra tudo que é canto” relatou. O atleta também conta que se tornou proprietário de restaurante quando trabalhava junto com a ex-mulher e resolveu comprar a parte que lhe cabia. Apesar de participar de grandes competições, ele explica que não pensa em ser um atleta profissional. “Eu gosto de correr, mas não tenho o biotipo de um atleta de ponta. Vou pela saúde e pela amizade que tenho com colegas de esporte”.

Edilson ainda enfatizou que além de um grande hobby, a corrida é uma conquista na sua vida. “Participo de grupos de corridas, que incentivam a minha vontade pela prática e sempre saio para as competições”.

Mesmo se considerando ainda acima do peso, ele revelou que força de vontade é o essencial de tudo e que tem muito orgulho em participar de comeptições. “Para mim é uma grande conquista, pois mesmo com meus 100 kg, termino uma prova de 21 km em duas horas, na frente de pessoas com 70 kg e mais novas que eu. Tem muito gente magrinha que não tem nem os quilômetros que eu tenho rodados. São mais de 3.000, em 8 anos. O gosto pelo atletismo veio com a cirurgia e depois com a ráatica da caminhada e gradativamente fui correndo”.

Com a experiência que obteve em participar de corridas pelo país, e nos principais centros como Rio de Janeiro e São Paulo, Edilson atesta que no Rio Grande do Norte a falta de organização é o principal problema para os atletas da área. “Aqui tem uma vista linda, maravilhosa, mas falta organização. Pagamos caro pela corrida, que não oferece o mínimo de condições para os praticantes. Em outros centros a única preocupação é correr. Você corre a vontade. Aqui nós temos que ver se tem carro, se tem ladrão… é uma desorganização total” reclamou. Falando sobre sua experiência com corridas profissionais, ele se orgulha de ter participado da São Silvestre, uma das maiores corridas de rua do Brasil. “A melhor competição é a São Silvestre. Participei em 2001 e pretendo no próximo ano participar da Maratona do Rio de Janeiro”.

Compartilhar:
    Publicidade