E agora, quem paga a conta?

A compra de uma refinaria nos Estados Unidos, por parte da Petrobras, tem todas as nuances de um verdadeiro escândalo.…

A compra de uma refinaria nos Estados Unidos, por parte da Petrobras, tem todas as nuances de um verdadeiro escândalo. Ainda no primeiro governo Lula da Silva, a então ministra das Minas e Energias, Dilma Rousseff, autorizou o negócio, que acabou sendo responsável por um grande prejuízo financeiro para o país.

A operação para a aquisição do negócio é incrível. A refinaria foi comprada por um grupo belga por 42,5 milhões de dólares e metade foi vendida à Petrobras, um ano depois, por US$ 360 milhões. Pior: no final, após batalha jurídica, a refinaria acabou saindo por 1,2 bilhão de dólares.

O negócio é tão escandaloso, que a presidente Dilma Rousseff acabou divulgando uma nota desastrosa na última terça-feira, onde admite ter sido influenciada por um relatório técnico “falho” para autorizar o investimento. E, para completar, praticamente admitiu que não leu o contrato antes de assinar. Explica-se.

O documento obrigava a estatal a adquirir o restante da empresa após alguns meses e forçava a Petrobras a garantir um lucro anual de 6,9% aos belgas durante o tempo de sociedade. Maior absurdo, impossível. Quando a proposta de compra da metade final chegou ao governo, Dilma foi contra. Mas, aí, já era tarde demais. O negócio foi parar na justiça, mas a conta final a cifra bilionária.

A novidade surge em meio as muitas denúncias de pagamentos de propina no órgão, fichinha perto do tamanho do rombo financeiro causado pela negligência de Dilma. É urgente a investigação de tudo isso, até que se identifiquem os responsáveis por “facilitar” tamanho negócio da China.

Do lado político, não há outra análise a ser feita a não ser que a oposição encontrou o pavio de pólvora que tanto esperava. Não a notícia da provável compra superfaturada da refinaria, mas sim o “erro” vergonhoso da atual presidente, que tanto vendeu a imagem de boa gestora antes de ser eleita. E agora, quem paga a conta?

 

FATO NEGATIVO

A repercussão do péssimo negócio fechado por Dilma durante sua passagem pelo Ministério de Minas e Energia foi grande, ontem, no Congresso Nacional. O presidenciável Aécio Neves bateu forte na adversária, e cobrou esclarecimentos.

SUCATAS

No mesmo caminho foi o senador José Agripino Maia. O democrata disse que este foi um dos investimentos mais “malsucedidos” da história da estatal, e lembrou o estado de sucateamento dos órgãos federais do país.

VEM CPI???

Agora, é esperar os próximos capítulos, inclusive com a possibilidade de uma abertura de CPI no Congresso. Ou alguém acredita que as notícais em torno deste “negócio” ficará apenas nisso mesmo???

COMPLICOU

Com a proximidade do momento de definição, o PT internamente tem dito que não fará coligação na proporcional, com o PSD, de maneira nenhuma. Só quer fechar parceria mesmo na majoritária. E agora?

UM POR TODOS…

Em tempo: a questão proporcional envolve a sobrevivência dos dois partidos na Assembleia e na Câmara Federal. Unidos, segundo os matemáticos, garantem os mandatos de Fábio Faria e dos estaduais do PSD. Separados, o filho de Robinson corre risco, mas o PT garante suas vagas. É a luta.

NO DIA 28

Por fim, a jornalista Vera Magalhães, que assina a coluna Painel na Folha de São Paulo, diz que já tem até hotel reservado para o anúncio da chapa Henrique e Wilma.

ESPAÇO DO LEITOR

Sobre as palavras do deputado José Dias, publicadas ontem neste JH, a coluna recebeu e-mail do leitor Jorge Célio Bezerra. “Ontem a entrevista do deputado Zé Dias foi só no que se falou e os bacuraus estão revoltados, os aliados de outros partidos também. Vejam a análise geral: 1) Zé Dias cuspiu no prato que comeu, foi muito ingrato. Se ele não fosse casado com uma Alves ele era suplente de vereador em Umarizal. Esses governos que ele diz que quebraram o estado com apoio dos Alves e Maia, ele apoiou ou não? Claro que sim.”

ESPAÇO DO LEITOR II

“2) Até o emprego dele no grupo UEB ele deve aos Alves. 3) Ele devia responder ao ex vice-governador Iberê Ferreira quando publicamente disse que: ‘Zé Dias tem medo de uma devassa no IBDF’. Ele devia contar a ‘história’ da fazenda Paraíso do seu sogro seu Nezinho Alves. Também contar porque ele “deixou” as empresas do grupo UEB e o que ouviu do general Afonso. Zé Dias nunca respondeu a Iberê, porque Zé?”

ESPAÇO DO LEITOR III

O leitor finaliza o e-mail assim. “4) Se sentiram profundamente ofendidos: Agnelo Alves e Carlos Eduardo, por tabela Garibaldi pai, Fernando Bezerra, Geraldo Melo, Walter Alves, José Agripino, Felipe Alves, Lavoisier Maia, Paulo Roberto Alves entre tantos. Será que se esses apoiassem Robinson, ele diria isso? Zé Dias afastou de vez Carlos Eduardo do palanque de Robinson Faria. Termino como Roberto Jeffersom disse a Zé Dirceu: ‘Cala a boca Zé, sai fora Zé…’”

GIRA MUNDO

A informação é destaque no portal da Veja. A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira, no âmbito da operação Lava Jato, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. De acordo com policiais, Costa foi preso após familiares terem tentado destruir provas e documentos na consultoria aberta por ele cinco meses após deixar a Petrobras. Costa também é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) no Estado do Rio de Janeiro por irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela estatal brasileira.

Compartilhar:
    Publicidade