Economistas afirmam que “viver de renda” hoje é inviável

Confira dicas de como atingir — e manter — o sonho de viver com salário sem precisar trabalhar

Sombra e água fresca: analistas dão dicas tanto para quem busca quanto para quem já vive de renda. Foto:  Getty Images
Sombra e água fresca: analistas dão dicas tanto para quem busca quanto para quem já vive de renda. Foto:
Getty Images

Já imaginou ganhar salário todo mês sem precisar trabalhar? Sonho de muitos brasileiros, viver de renda hoje está mais difícil do que antigamente, principalmente se você não tem uma herança familiar, ganhou na Mega-Sena ou recebe um salário estelar.

A maior dificuldade em viver de renda atualmente — além de juntar a grana, é claro — está na taxa de juros, afirma Miguel de Oliveira, economista da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

— Viver de renda significa viver de juros. Antigamente era mais fácil, pois hoje as taxas de juros sequer pagam a inflação. A poupança do ano passado, por exemplo, foi menor do que a inflação. Hoje o investidor que deixa o dinheiro parado corre o risco de perder grana.

Ponto de partida

Para quem busca viver de renda, a dica do professor de finanças do Ibmec/RJ (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais/Rio de Janeiro) Gilberto Braga é primeiramente montar uma poupança e, quando a pessoa já tiver uma “reserva”, diversificar seus investimentos.

— Não dá pra ficar só na renda fixa, a pessoa deve investir em imóveis ou artigos financeiros de risco, de renda variável, como Bolsa de Valores, imóveis, terrenos que podem sofrer valorização lá na frente.

Segundo ele, o brasileiro costuma poupar visando a objetivos de curto e médio prazo, como uma festa de casamento ou a compra de um carro, por exemplo. No caso de viver de renda, o sonho muitas vezes esconde alguns cuidados que devem ser tomados.

— É importante fazer sempre uma revisão nos investimentos para ver se eles continuam os mais rentáveis, como por exemplo um imóvel alugado. [Viver de renda] não é um processo que você simplesmente ganha e vive de pernas para o ar.

Outro risco é apontado pela coordenadora do Investmania, Aline Rabelo. Segundo ela, é importante não ter uma “vida de privações” visando ao retorno futuro.

— O ponto negativo em viver de renda é continuar consumindo, o que traz insegurança uma vez que, se acontecer alguma emergência ou imprevisto que exija uma maior quantia de dinheiro, a pessoa vai fazer o quê?

Compartilhar: