Edutec mostra que a zona Norte tem educação de qualidade

Evento reúne especialistas da área, artistas e estudantes em vasta programação até domingo

Edutec---I-Mostra-de-Educacao-WR

Marcelo Lima

Repórter

Para quebrar um velho preconceito de que a zona Norte de Natal não possui serviços de qualidade – especialmente na educação formal -, seis professores de escolas públicas e privadas se uniram para organizar a 1ª Mostra de Educação, Tecnologia e Cultura (Edutec). O evento começa hoje à tarde e segue até domingo, dia seis, no Complexo Cultural de Natal na avenida João Medeiros Filho.

Na programação, há shows, competições de soletração e redação, apresentações culturais das próprias escolas, exposições, palestras, saraus, sala dedicada a literatura, homenagem a escritores da região, parede de rapel e tarde de autógrafos. Com o número de 80 expositores, a Mostra não se restringe à exposição de estabelecimentos de ensino que estejam instalados na zona Norte.

A coordenadora geral, Selma Luizzari, afirma que a quantidade de instituições com ensino de qualidade é muito maior do que meia dúzia de escolas. Por isso o evento “surgiu da necessidade e vontade de mostrar para a população que a zona Norte é totalmente independente. Vamos mostrar que temos excelentes instituições de ensino”, disse.

Segundo ela, as escolas da maior região administrativa da capital possuem o mesmo nível de infraestrutura e qualidade que escolas de outras regiões. São 178 escolas (entre públicas e privadas), três faculdades, cinco instituições que oferecem cursos de idiomas e quatro cursos profissionalizantes.

Todos os dias haverá palestras. Uma das convidadas é a secretária estadual de Educação, Betânia Ramalho. Na ocasião, sexta-feira às 20h, ela estará como pesquisadora da área e discorrerá sobre o tema “Tecnologia na educação básica: o desafio da escola no século 21″.

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) também foi convidado como palestrante. Na qualidade de professor, ele apresentará o tema “Expansão urbana: meio ambiente e qualidade de vida na zona Norte” às 20h do sábado. No total, serão oito palestrantes inclusive de outros estados brasileiros.

Os estudantes das escolas expositoras poderão participar do concurso de soletração e de redação. A premiação para os vencedores será uma bolsa de estudos integral na escola de idiomas CNA e um kit escolar completo.

O concurso de redação terá duas categorias: uma para estudantes do ensino fundamental 2 (6º ao 9º ano) e outra para ensino médio. O concurso de soletração terá participação apenas de estudantes do ensino fundamental. Nessas competições só é possível a inscrição de estudantes de instituições expositores no evento.

A entrada tem o valor de R$ 3,00 e dá o direito de participação em qualquer atividade. Crianças de até oito anos não pagam. Nas escolas participantes, as entradas foram vendidas por R$ 1,00. “Por se tratar de uma iniciativa voluntária de um grupo de diretores e professores, não tivemos nenhuma verba pública”, disse Luizzari explicando a cobrança do valor.

Segundo Selma Luizzari, o investimento total do evento foi mais de R$ 100 mil. A Prefeitura de Natal deu apoio com banheiros químicos e gerador de energia. O governo do Estado cedeu o espaço. Apesar da falta de dinheiro governamental, a coordenadora geral acredita no sucesso do evento. “É um mix de cultura, tecnologia e entretenimento”. A organização do evento espera uma média de 45 mil visitantes.

A cerimônia de abertura oficial ocorreu ontem para convidados especiais, autoridades e professores. Hoje as apresentações artístico-culturais das escolas começam a partir das 16h. Às 16h30 o Espaço Literart também começa a funcionar com lançamento de revistas, música e a participação da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins (SPVA) com sarau lítero-musical. No sábado, a programação fica por conta do Festival Atitude de música gospel a partir das 18h. Serão sete apresentações artísticas do gênero antecedidas também por apresentações escolares.

Compartilhar:
    Publicidade