“Estava dormindo do meu lado e levou um tiro na cara”, diz mãe de criança morta

Moradores do morro da Quitanda, na zona norte, apontaram polícia como culpada

Lucas Melo foi morto durante tiroteio entre PMs e traficantes em comunidade de Costa Barros. Foto: Divulgação
Lucas Melo foi morto durante tiroteio entre PMs e traficantes em comunidade de Costa Barros. Foto: Divulgação

A mãe do menino Lucas Felipe Rangel de Melo, de 3 anos, morto ao ser baleado durante tiroteio entre PMs e traficantes, na quarta-feira (25), em Costa Barros, disse que a criança foi atingida enquanto dormia a seu lado. Segundo Jurema Paes, o projétil atingiu o rosto de Lucas.

“Ele estava dormindo do meu lado. O tiro acertou a cara dele”.

As armas dos PMs envolvidos na operação foram apreendidas para perícia. Revoltados com a morte do menino, moradores protestaram nas ruas de acesso ao morro da Quitanda, no fim da manhã de quarta. Ônibus e carros foram depredados e policiais militares, atingidos com pedras.

A circulação de trens e metrô chegou a ser interrompida na região em razão da manifestação de moradores revoltados com a morte da criança.

Seis coletivos foram depredados, segundo o Sindicato o Rio Ônibus (Empresa de Ônibus do Município).

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso. Moradores da comunidade e os agentes que participaram da ação estão sendo ouvidos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Lucas Felipe Rangel de Melo deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da região, já sem vida. Ele foi atingido por um tiro na cabeça.

Outras duas vítimas que deram entrada na UPA foram atendidas e liberadas.

Fonte: R7

Compartilhar: