Em 20 dias como deputado, Dibson não conseguiu nem nomear assessores

Dibson Nasser, do PSDB, conseguiu uma liminar para voltar a Assembleia Legislativa no início de julho, contudo, ao que parece,…

rey45y54y

Dibson Nasser, do PSDB, conseguiu uma liminar para voltar a Assembleia Legislativa no início de julho, contudo, ao que parece, ficou claro que o retorno dele era temporário. Depois de esperar por uma semana para empossá-lo novamente no cargo, cumprindo a decisão judicial, a Assembleia teria segurado por 20 dias a nomeação dos cargos indicados por ele para o gabinete. Pelo menos, é o que o próprio deputado afirma em texto publicado no perfil dele no Facebook.

“Passe um dia comigo e veja o quanto meu telefone toca, pessoas passando as informações do que há nos bastidores da Política do RN. Hoje sábado, já me passaram as medidas que estão tomando para que meu suplente consiga nomear os cargos do gabinete, coisa que não consegui durante 20 dias. Alias, a publicação do meu afastamento saiu numa velocidade!”, ironizou o, agora, ex-parlamentar.

Isso porque Dibson Nasser conseguiu no dia 1º de junho a liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que anulou a decisão que cassou o mandato dele em 2012. A Assembleia Legislativa foi notificada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas precisou se reunir para analisar a decisão judicial e só no dia 4 decidiu empossá-lo – com Dibson indo lá diariamente para cobrar o retorno a Casa.

Já com José Adécio, o trâmite foi bem mais rápido. Ele conseguiu o mandado de segurança na sexta-feira e já na segunda-feira foi empossado na Assembleia Legislativa, mesmo ela estando de recesso. “Nesses bastidores da política do RN, ocorre todo os tipos de boatos e comentários, e na sua maioria, eles acertam, como acertaram que o Ministro Gilmar Mendes iria tirar a liminar que o Ministro João Otávio Noronha deu no último dia primeiro de Julho. Lembrem-se, esse boato surgiu assim que eu consegui tomar posse no dia 4 e se concretizou na última quinta feira dia 24″, criticou Nasser.

Filiado ao PSDB, vale lembrar, Dibson Nasser já havia comentado afirmado que havia sido vítima de “forças ocultas” e que o presidente nacional do DEM, o senador José Agripino Maia, havia trabalhado para, com a ajuda do amigo, o ministro do TSE, Gilmar Mendes, devolver o mandato ao também democrata José Adécio. Agora, ele afirmou que estava sendo vítima, desde o início, de uma articulação na Justiça.

“O Recurso Ordinário Numero 2906 no TSE estava sobre vistas a mais de 50 dias do ministro Henrique Neves (Irmão do Advogado Fernando Neves, que trabalharia para o DEM). E acho eu, que ele só devolveu o processo para a pauta, pois, depois de esperar 50 dias, eu fiz uma denuncia no CNJ no dia 14 de abril, e o CNJ me respondeu no dia 22, dizendo que iria notificar na mesma tarde a Presidência do TSE, e a noite do dia 22.04.2014, o Ministro Henrique Neves, devolve o processo”, relembrou Dibson.

“Nos bastidores da política do RN, as mesmas pessoas que falaram da vistas do Ministro Henrique Neves, começam a dizer que, a Ministra Luciana Lóssio iria pedir vistas na mesma noite que retomasse o julgamento da RO 2906. Pois seria uma solicitação de um amigo, um Deputado Federal do RN.

“Então, seria na noite do dia 8 de maio, pois era a data marcada pelo TSE para retomar o julgamento. Sobre sugestão de um amigo, resolvi registrar esse ‘fato’ e fui ao jornal de Natal e fiz uma publicação, informando que a ministra iria pedir vistas da RO2906 na noite do dia 08.05.2014, pois era isso que se comentavam nos bastidores da política do RN. E foi exatamente o que aconteceu, ela pediu vistas do processo logo depois do voto do Ministro Henrique Neves. Não posso afirmar que isso é verdade, que ela atendeu algum tipo de solicitação de um “amigo”, mas é muita coincidência!”, relembrou.

Compartilhar: