Em jogo que teve até uso de tecnologia, França estreia com vitória no Mundial

Partida no Beira-Rio foi a primeira das Copas que contou com ajuda do recurso eletrônico para comprovar se a bola entrou; seleção francesa massacrou Honduras e venceu por 3 a 0

França venceu com show de Benzema e gol submetido à tecnologia. Foto: Divulgação
França venceu com show de Benzema e gol submetido à tecnologia. Foto: Divulgação

Jogo sem hino, violência excessiva e até mesmo um teste definitivo para a tecnologia da linha do gol. Teve literalmente de tudo no confronto entre França e Honduras, partida válida pelo Grupo E da Copa do Mundo, neste domingo, no Estádio Beira-Rio. Mas mesmo diante de tantas polêmicas, a seleção francesa venceu por 3 a 0, em um jogo que entrará para a história das Copas como o primeiro em que houve um gol confirmado com ajuda de recurso eletrônico.

O lance histórico ocorreu logo aos dois minutos do segundo tempo. A França já vencia por 1 a 0 e tinha ainda a vantagem de jogar com um homem a mais, após a expulsão do hondurenho Wilson Palacios, no lance que originou o gol de pênalti convertido por Benzema. Após um lançamento de Valbuena, o atacante do Real Madrid cabeceou na saída de Valladares. A bola tocou na trave esquerda, voltou em direção ao goleiro de Honduras, mas cruzou a linha do gol, após tocar de leve em sua mão.

Durante alguns instantes, ficou um clima de tensão no Beira-Rio, remetendo a cenas que já vimos em Copas anteriores, como na final do Mundial de 1966, no famoso gol da Inglaterra. A bola entrou ou não? Eis que a imagem mostrando o árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci apontando para o centro do campo comprovava a eficiência da tecnologia da linha do gol. O dispositivo localizado em cada gol checa se a bola cruzou ou não a linha, emitindo um sinal para o relógio do árbitro em caso positivo.

A novidade deixou os próprios jogadores confusos. Ricci precisou conversar com o técnico hondurenho Luiz Suarez e o goleiro Valladares para explicar o que havia ocorrido. Até o treinador francês Didier Deschamps tentou consolar seu colega, apontando para o telão, que mostrava a bola cruzando, por poucos centímetros, a linha do gol.

Show de Benzema

Mesmo com a Fifa dando o gol como contra de Valladares, Karin Benzema não saiu no prejuízo em sua partida de estreia na história das Copas. O atacante do Real Madrid deu um show no Beira-Rio, sendo o responsável pela criação das principais jogadas ofensivas da França, auxiliado de forma talentosa pelo meia Valbuena, para desespero dos jogadores de Honduras, que abusavam da violência.

Primeiro, mostrou sangue frio ao converter o pênalti cometido por Palacios – expulso por conta do segundo amarelo, já que havia sido levado o primeiro após desentendimento com Pogba – , aos 45 minutos do primeiro tempo, mesmo com a provocação do goleiro Valladares. Após o lance polêmico do segundo gol, Benzema continuou no mesmo ritmo e aproveitou uma bola rebatida da defesa hondurenha para marcar o terceiro gol francês, em um chute forte e quase sem ângulo, aos 27 da etapa final, decretando a vitória francesa.

Começo confuso

Mas as cenas bizarras deste França x Honduras começaram ainda antes da bola rolar. De forma inexplicpável, após as duas seleções ficarem perfiladas e aguardarem a execução dos hinos, nada aconteceu. As duas equipes partiram para o aquecimento final, enquanto as pessoas tentavam entender o que havia ocorrido. Ainda no primeiro tempo, os representantes da Fifa explicaram que o motivo da gafe havia sido uma falha no sistema de som do Beira-Rio. Para quem é fã da Marselhesa, o hino francês, uma falha imperdoável.

FICHA TÉCNICA

FRANÇA 3 X 0 HONDURAS

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 15 de junho de 2014, domingo
Horário: 16h00 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Brasil)
Assistentes: Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse, ambos do Brasil
Cartões amarelos: Evra, Pogba e Cabaye (França); Palacios e Garrido (Honduras)
Cartões vermelho: Palacios (Honduras)
Gols: Benzema (pênalti), aos 45 minutos do primeiro tempo; Valladares (contra), aos três e Benzema aos 27 minutos do segundo tempo

FRANÇA: Lloris; Debichy, Varane, Sakho e Evra; Cabaye (Mavuba), Matuidi e Pogba (Sissoko); Valbuena (Giroud), Benzema e Griezmann. Técnico: Didier Deschamps

HONDURAS: Valladares; Beckeles, Bernardez (Chavez), Figueroa e Izaguirre;  Palacios, Garrido, Najar e Espinoza; Costly e Bengtson (Garcia). Técnico:  Luiz Suarez

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade