Em trote, calouros da Cásper Líbero simulam sexo oral na avenida Paulista

Os representantes dos movimentos estudantis afirmam que as roupas de alguns calouros foram cortadas, deixando meninas de sutiã e meninos apenas de cueca na avenida Paulista

Caloura da Faculdade Cásper Líbero simula sexo oral durante trote na avenida Paulista. Foto:Divulgação
Caloura da Faculdade Cásper Líbero simula sexo oral durante trote na avenida Paulista. Foto:Divulgação

Calouros da Faculdade Cásper Líbero tiveram que simular sexo oral com bananas ou pepinos durante o trote realizado na segunda-feira (10) na avenida Paulista, reagião central de São Paulo. Em nota conjunta, o Centro Acadêmico Vladimir Herzog e a Frente Feminista Casperiana Lisandra repudiaram o ato.

Segundo o texto publicado nas páginas dos dois momentos no Facebook, calouros tiveram que “enfiar um pepino na boca, quando não tinha o legume esfregado no rosto – em uma clara alusão a um pênis”.

Em uma das fotos publicadas no Facebook, uma jovem toda pintada aparece colocando uma banana na boca. Os movimentos classificaram o trote como “humilhante” e “desnecessário”.

Na rede social, um aluno se identificou como participante do trote e pediu desculpas. “Quero pedir desculpas em primeiro lugar à bixete da foto – que já estou entrando em contato para me desculpar -, e aos bixos e bixetes em que fora praticada essa atitude. E também, a todos os outros que foram atingidos com o ato. Não medi o quão humilhante e opressora poderia ser essa atitude”.

Os representantes dos movimentos estudantis afirmam que as roupas de alguns calouros foram cortadas, deixando meninas de sutiã e meninos apenas de cueca na avenida Paulista.

Em outra foto, um aluno aparece arramado a um poste durante o trote do curso de publicidade e propagando. “A FFLC e o CAVH esperam sinceramente que não tenha sido uma alusão ao ocorrido no Rio de Janeiro semana passada, pois teríamos motivos suficiente para questionar o futuro da comunicação em nosso país, que estaria também nas mãos de nossxs colegas racistas”.

Apuração

Em nota, a Cásper afirma que está apurando os fatos e que tem adotado uma série de ações para “coibir o trote violento, humilhante, vexatório ou constrangedor”.

“Infelizmente, mesmo com essa série de ações, alguns alunos acabam por cometer excessos absolutamente inadequados e reprováveis sob todos os aspectos – fato este que a Faculdade Cásper Líbero lamenta profundamente”, diz.

Compartilhar: