Emater realiza licitação para construção e montagem de abatedouros no interior

Os abatedouros a serem construídos e os concluídos serão contemplados com uma unidade de abate, tratamento sanitário e equipamentos de higienização adequados às normas da Legislação Sanitária e Ambiental

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

A Emater está promovendo tomada de preços para realizar licitações destinadas à construção e montagens de 11 Unidades de Processamento de Carne (abatedouros), abrangendo municípios de todas as regiões do Rio Grande do Norte. Já foram realizados processos licitatórios nos municípios de Ceará Mirim, Nova Cruz e Vera Cruz, na região agreste potiguar.

Ao todo, o investimento orçado é da ordem de R$ 4 milhões, procedentes do Governo Federal, com contrapartida do Governo do Estado, e parceria com prefeituras municipais.

Os abatedouros a serem construídos e os concluídos serão contemplados com uma unidade de abate, tratamento sanitário e equipamentos de higienização adequados às normas da Legislação Sanitária e Ambiental. O objetivo é garantir a segurança alimentar e nutricional da população consumidora desses produtos, fortalecendo a agroindústria familiar com a inclusão de carne no mercado formal, através da certificação do Instituto de Defesa e Inspeção Sanitária do Rio Grande do Norte (Idiarn).

De acordo com a presidente da Comissão de Licitação da Emater, a pregoeira Sônia Holanda, os outros oito municípios beneficiados são Angicos, Taipu, Pedro Avelino, Baraúna, Florânia, Acari, São José do Seridó e Santa Cruz. As licitações dos abatedouros, nessas localidades, serão agilizadas ainda no primeiro semestre deste ano.

Em cada unidade será utilizada mão de obra de cerca de 10 profissionais residentes nas próprias comunidades. O gerente de agroindústria da Emater, o economista Ivo Freitas, ressalta que todos eles serão capacitados pela instituição. Além disso, a Emater realizará o monitoramento nas unidades, com o apoio de um auxiliar de veterinária em todas as fases do abate, até o processamento de carnes e vísceras.

Ivo Freitas esclarece que, atualmente, existem 27 Unidades de Processamento de Carnes  mantidos  através de convênios realizados entre a Emater e Governo Federal, e outras 25 resultantes de convênios celebrados entre o Governo Federal e as prefeituras municipais.

Compartilhar:
    Publicidade