Empresa testa ‘via expressa’ em banda larga que passa 44 filmes por segundo

Alcatel-Lucent e BT dizem ter batido recorde de velocidade de transmissão de dados

As pressões para oferecer serviços melhores e mais velozes são cada vez maiores para os provedores de acesso, sobretudo após a popularização de serviços como Netflix. Foto: BBC
As pressões para oferecer serviços melhores e mais velozes são cada vez maiores para os provedores de acesso, sobretudo após a popularização de serviços como Netflix. Foto: BBC

Duas empresas de telecomunicações disseram ter conseguido atingir “as velocidades mais rápidas do mundo” de transmissão de dados em testes realizados em Londres, criando uma “via expressa” em sua rede de banda larga convencional.

A Alcatel-Lucent e a BT disseram ter transmitido 1,4 terabyte por segundo, o suficiente para mandar 44 filmes em alta-definição por segundo, sem necessidade de nenhum tipo de compactação dos dados.

Segundo as empresas, a técnica permitiu um ganho de 42,5% na eficiência do uso da rede. Os testes foram feitos em cabos de fibra ótica entre a torre da BT em Londres, no centro da capital britânica, e a cidade de Ipswich, que fica a 410 quilômetros. O diretor de marketing da Alcatel-Lucent, Kevin Drury, fez uma analogia para explicar como os resultados foram obtidos.

Ele compara os cabos de fibra ótica a estradas, com várias pistas, por onde trafegam os dados. Para aumentar a velocidade, o tamanho de cada “pista” foi reduzido, e foi criada uma “pista” extra para transmissão exclusiva de outros dados – uma espécie de “via expressa”.

Mas Oliver Johnson, executivo principal da empresa de consultoria de banda larga Point Topic, alerta que esta técnica também gera outros problemas. “Existe um compromisso. Quanto mais você amontoa os dados na linha de fibra ótica, maior é potencial para que ocorram interferências e erros na transmissão”, diz ele.

A Alcatel-Lucent e a BT disseram que a transmissão no teste ocorreu de forma estável e sem erros. Demanda Apesar do sucesso, as empresas não têm planos imediatos para oferecer esse serviço no mercado. Para as empresas, a importância do teste foi o fato de ele ter sido todo feito com a infra-estrutura já existente, sem necessidade de investimentos adicionais.

“A BT e a Alcatel-Lucent estão conseguindo aproveitar ao máximo o que eles já possuem”, diz Oliver Johnson. A Alcatel-Lucent disse à BBC que a demanda por banda larga mais rápida aumenta 35% por ano.

As pressões para oferecer serviços melhores e mais velozes são cada vez maiores para os provedores de acesso, sobretudo após a popularização de serviços como Netflix, de transmissão de filmes pela internet. Algumas empresas já conseguiram transmitir dados de forma mais rápida do que o teste conduzido na quarta-feira, mas isso foi feito em laboratório com uma complexa tecnologia laser.

O teste realizado pelas duas empresas britânica utilizou apenas a rede já existente de cabos de fibra ótica.

 

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade