“Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento” estreia nesta quinta-feira

Espetáculo segue até o dia 14/12, sempre iniciando às 20h

A dramaturgia, construída em processo colaborativo com os grupos e direção, ganha vida com a atuação de dez atores que interpretam personagens fictícios inspirados em figuras reais de Natal. Foto: Divulgação
A dramaturgia, construída em processo colaborativo com os grupos e direção, ganha vida com a atuação de dez atores. Foto: Divulgação

O espetáculo teatral “Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento” estreia nesta quinta-feira (12 de dezembro), na área externa do ginásio Nélio Dias, zona Norte de Natal, onde segue em temporada até o dia 14/12, sempre iniciando às 20h.

Com direção de Luiz Fernando Marques, do Grupo XIX de Teatro (SP), e codireção de Paulo Arcuri (SP), a peça é resultado do projeto Natal: Encruzilhada do Mundo, idealizado pelos grupos natalenses Coletivo Atores à Deriva e Bololô Cia. Cênica, contemplado no Edital Natal em Cena 2013, lançado pela Prefeitura Municipal do Natal através da Funcarte.

A dramaturgia, construída em processo colaborativo com os grupos e direção, ganha vida com a atuação de dez atores que interpretam personagens fictícios inspirados em figuras reais de Natal e contam a história da cidade na primeira metade do século 20, desde as aventuras do aviador Augusto Severo, até a cidade abandonada pelos soldados norte-americanos, na decadência do pós Segunda Guerra Mundial.

SINOPSE - Numa cidade rodeada por dunas e mar, um hangar vira encruzilhada do mundo, encruzilhada de vidas, encruzilhada de tempos. Dentro deste hangar, um avião grande o suficiente para que nele caibam todos os sonhos. Assim é a Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento: a história de uma cidade recontada através das histórias da gente que nela vive.

Livremente inspirado pela (s) história (s) de Natal – do período de 1902, ano em que o pioneiro da aviação Augusto Severo morre em Paris até 1955, período cinza seguido do brilho da Segunda Guerra Mundial -, o espetáculo propõe que façamos a leitura da cidade de uma nova maneira, pela ótica da poesia e da fábula, e não somente segundo aquela exposta nos livros de história. Propõe que nos leiamos de uma nova maneira, que nos entendamos como personagens dessa história, protagonistas na nossa vida: nós podemos escolher nossas encruzilhadas.

 

Fonte: Solto na cidade

Compartilhar: