Enem 2013: 75 presos do RN fazem a prova hoje e amanhã

O número de inscritos neste ano é quase três vezes maior que em 2012

Uma das unidades do Estado que realiza o Enem 2013 entre os seus detentos é o presídio de Alcaçuz, localizado na cidade de Nísia Floresta. Foto: Divulgação
Uma das unidades do Estado que realiza o Enem 2013 entre os seus detentos é o presídio de Alcaçuz, localizado na cidade de Nísia Floresta. Foto: Divulgação

Setenta e cinco detentos do sistema carcerário potiguar fazem hoje e amanhã as provas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem 2013), em seis unidades prisionais do Rio Grande do Norte. Os exames, aplicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), começaram pontualmente às 13h e é uma forma de ressocialização e educação para os presos.

Segundo a coordenadora pedagógica do Sistema Prisional do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade, da Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc), Aderleth Bezerra, o número de inscritos neste ano é quase três vezes maior que em 2012, quando apenas 28 apenados fizeram as provas. Ela disse ainda que, além dos benefícios diretos de educação e ressocialização, os presos podem concluir seus estudos e alcançar uma melhor qualificação profissional após o cumprimento de suas penas.

“Há duas vantagens para os apenados que participam do exame: eles têm a possibilidade de ingressar no ensino superior ao alcançarem o regime semi-aberto e o aberto, caso atinjam a nota necessária para matricular-se em um curso. Ou podem aproveitar a média para conseguir a certificação de conclusão do ensino médio”, explicou Aderleth.

Neste ano, as provas estão sendo aplicadas em seis unidades no Estado: Penitenciária Estadual de Alcaçuz e Rogério Coutinho Madruga, em Nísia Floresta; Presídio Estadual de Parnamirim (PEP); Complexo Penal João Chaves, pavilhão feminino, em Natal; penitenciária Agrícola Mário Negócio, em Mossoró e Penitenciária Estadual do Seridó, em Caicó.

Para o titular da Sejuc, Júlio César de Queiroz, é importante apoiar a aplicação do Enem e ampliar o número de detentos estudantes no Estado. Ele disse ainda que as novas unidades prisionais que serão construídas no Rio Grande do Norte serão contempladas com salas de aulas, para beneficiar os detentos que quiserem mudar de vida. “Já iremos construí-las com propostas de educação para os internos”, afirmou.

Diferente do Enem aplicado para os estudantes comuns, em outubro passado, as provas voltadas para os presidiários terão questões diferenciadas, mas o formato é o mesmo. Hoje, os candidatos respondem a 90 questões de Ciências Humanas e de Ciências da Natureza, em um intervalo de 4h30. Já amanhã, serão mais 90 de Linguagens e de Matemática, além de uma redação, com tempo de 5h30 para a realização das provas. Conforme o Inep, os gabaritos das provas objetivas serão disponibilizados no portal do instituto. No entanto, somente o responsável pedagógico de cada unidade prisional poderá acessá-los.

Compartilhar: