Enfermeira do João Machado faz desabafo e expõe maquiagem feita pela Governadora

Enfermeira lista todos os problemas encontrados no hospital João Machado

Rosalba visita um hospital "para inglês ver".Foto: Demis Roussos
Rosalba visita um hospital “para inglês ver”.Foto: Demis Roussos

Inicialmente gostaria de dizer que sou enfermeira nesse Hospital Doutor João Machado, aliás, nesse não; em outro beeeem diferente deste mostrado na foto por ocasião da visita da governadora.

O Hospital João Machado em que eu trabalho não tem lençóis para cobrir todos os leitos e nem os pacientes. Essa foto foi tirada sexta feira (e fui informada que cedinho o secretário adjunto da Saúde foi até o hospital ordenar que todos os leitos da área reformada fossem “arrumados”).

E na quarta-feira quando eu saí do plantão a maioria dos leitos da enfermaria masculina ficaram sem lençóis, inclusive o leito de um paciente diabético, em hidratação venosa, que estava com disenteria e apresentou 9 (nove) episódios diarréicos, ficou no leito sem lençol nem pra se cobrir e sabem por quê? Porque o hospital não dispunha de fralda descartável e todas às vezes que ele evacuava tinha que trocar o lençol (na 3ª vez que evacuou já não tinha mais lençol).

E essa cadeira linda que aparece ao lado do leito, também não tem nos Hospital João Machado que eu trabalho.

Lá os acompanhantes não têm sequer uma cadeira daquelas de plástico e à noite é colocado um colchão no chão para o acompanhante “dormir”. Pena que deletei uma foto das cadeiras que ficam na entrada da enfermaria feminina, porque na masculina nem existe, se não ia mandar pras vocês verem. São cadeiras completamente rasgadas, com as esponjas à mostra.

As paredes do Hospital João Machado que eu trabalho também não são pintadinhas assim como essa que aparece na foto, não. Elas são cobertas de mofo.

E querem saber como são as camas? Essas são totalmente enferrujadas, as manivelas para mudança de decúbito não existem há muuuito tempo.

É uma pena que o Hospital João Machado que eu trabalho seja totalmente diferente deste.

Esse aí é sim PRA INGLÊS VER!!!

Graça Sabino – Enfermeira do Hospital Doutor João Machado (Natal)

Compartilhar:
    • Aurélio Oliveira

      Fico indignado em saber que a situação continua a mesma. Minha mãe tem anos de internamento neste hospital e nunca o atendimento foi humanizado, a não ser pelo carinho prestado pelos próprios servidores. Cresci vendo cenas horríveis, a cada fim de semana em que íamos às visitas. Chegada a maturidade, depois de 04 anos sem nem passar perto das lembranças vivas que o João Machado, mais conhecido como Colônia, me faziam ter cheguei a conclusão de que nada mudou: tudo apenas piorou, e muito! Agora, com o internamento dos dependentes químicos o medo de que outro mal se implante nestas dependências não para de me perturbar. Os CAPS não estão com toda necessidade sendo suprido e os servidores fazem o que fazem para manter as oficinas, os leitos e toda estrutura. Dias em que nem água potável se tem! O João Machado não fica de fora: falta medicamentos, limpeza, estrutura adequada, mais enfermeiros, psicólogos, e PRINCIPALMENTE, DIGNIDADE para os internos que precisam de cuidado! A Sra Governadora deveria ter mais cuidado pois, com essa crise em que se encontra, logo estará por la!

    • Carlos Andrade

      E aí, Sra. Governadora?

    • freitas

      Um verdadeiro absurdo, o que estamos vendo, isto e uma enfermaria que funcionava a 10 anos atras, quantas inconcequencias governamental, na verdade, resumindo uma futura mortandade, um genosidio

    • macacolinga

      Tira umas fotos e posta no zapzap pra gente ver. O impacto vai ser mais interessante…

    • Aurineide

      Essa enfermeira me inspira! Enfermagem também é denúncia. Só não enxerga quem não quer ver.

    • KARLA

      pena que n tem mais pessoas como essa moça se todos os covardes tivessem essa coragem o brasil n era essa vergonha que é hoje parabéns p vc GRAÇA SABINO.

    • Onézimo Ferreira da Silva

      MEUS PARABÉNS para esta GRANDE PROFISSIONAL DE SAÚDE, por denunciar esta POUCA VERGONHA. Esta é uma falta de consideração com quem não tem condições de se defender, como é a maioria dos enfermos desse hospital.