Engenheiro de som de John Lennon morre de câncer aos 74 anos em SP

Ele participou de gravações de 7 álbuns de John Lennon, além de Jimi Hendrix, Tom Jobim, Miles Davis e Elton John

O produtor e engenheiro de som Roy Cicala morreu na noite desta terça (21) aos 74 anos, em São Paulo, de falência múltipla dos órgãos, em decorrência de um câncer no fêmur. O enterro aconteceria no final da tarde desta quarta (22), no Cemitério do Redentor, na capital paulista.

Cicala foi um dos produtores e técnicos de som mais famosos dos anos 1970 e 1980, quando foi sócio do estúdio Record Plant, de Nova York, e participou de gravações de sete álbuns de John Lennon, além de discos com artistas como Jimi Hendrix, Tom Jobim, Miles Davis e Elton John.

Em 2006, veio ao Brasil, onde tem uma filha, e montou um novo estúdio, o South American Plant, uma parceria com o produtor brasileiro Apollo Nove.

O produtor musical Roy Cicala em seu estúdio na Vila Mariana em foto de 2009. Foto: Leticia Moreira - 5.out.2009/Folha Imagem
O produtor musical Roy Cicala em seu estúdio na Vila Mariana em foto de 2009. Foto: Leticia Moreira – 5.out.2009/Folha Imagem

O americano participou da gravação de álbuns da banda Forgotten Boys, de Cibelle, de um projeto conjunto dos belgas do Soulwax com a dupla MixHell (formada por Iggor Cavalera e Layma Leiton) e de Ciro Pessoa, mentor do Cabine C, banda paulistana dos anos 1980.

“Vim passar duas semanas e acabei ficando. Eu amo o Brasil, amo São Paulo. Essa cidade me lembra muito a Nova York dos anos 70: perigosa, porém excitante”, disse Cicala à Folha, em uma entrevista em 2009.

A ligação de Cicala com a música brasileira começou em 1963, quando era assistente do produtor musical Phil Ramone e trabalhou nas gravações de “Garota de Ipanema” com Stan Getz e Astrud Gilberto.

O engenheiro de som comandou uma das sessões mais surreais da música pop, em março de 1974, quando Paul McCartney apareceu de surpresa no estúdio e acabou fazendo uma “jam session” com John Lennon, Stevie Wonder e Harry Nilsson. Foi a única vez que Lennon e McCartney tocaram juntos depois do fim dos Beatles.

Nos próximos meses, o jornalista Claudio Tognolli publicará uma biografia de Cicala, “The Magic Door” (Saraiva/Benvirá). “Ele foi, com certeza, o melhor amigo do [John] Lennon”, diz Tognolli. De acordo com o autor, o americano emprestou dinheiro ao ex-Beatle e a Yoko Ono durante o período conturbado do casal em Nova York.

“Na gravação do último disco do Lennon, entrou um garoto e pediu pro Roy ver se ele tinha futuro. O Roy gostou da voz dele e emprestou US$ 28 mil pro cara viver seis meses na cidade e gravar um disco. Esse garoto era o Bruce Springsteen.”

 

Fonte: Folha de SP

 

Compartilhar:
    Publicidade