Enildo deixará partido de Agripino: “Me filiar ao DEM foi um grande erro”

O ex-vereador declarou que, nesse período, nunca ficou à vontade na legenda

Ex-vereador Enildo Alves. Foto: Divulgação
Ex-vereador Enildo Alves. Foto: Divulgação

Alex Viana

Repórter de Política

 

Ex-vereador de Natal, o médico e professor universitário Enildo Alves, atualmente no DEM, deverá pedir desfiliação e efetivar nova opção partidária. A meta política do ex-líder governista na Câmara Municipal de Natal foi anunciada na manhã desta sexta-feira, durante entrevista ao “Jornal da Cidade”, da FM 94, e coincide com o momento de crise por que passa o DEM no Rio Grande do Norte, com o veto à candidatura à reeleição da governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

“Quando eu deixei o PSB, depois de conseguir na Justiça Eleitoral a justa causa, cometi um grande erro político quando, em setembro de 2011, no final dos prazos para você concorrer aos pleitos de 2012, eu fiz a opção pelo DEM. Foi um grande erro meu. Já tinha até tido uma conversa com Garibaldi, com Walter Alves, com Hermano, já estava bem encaminhada a minha ida para o PMDB, mas cometi esse equívoco, porque o DEM está mostrando, nesse episódio desse ano, e outros, que realmente eu fiz uma opção equivocada”, disse Enildo.

O ex-vereador declarou que, nesse período, nunca ficou à vontade na legenda. “Eu nunca fiquei à vontade no DEM”, afirmou Enildo, destacando que sofreu falta de prestígio dentro da legenda comandada estadual e nacionalmente pelo senador José Agripino Maia (DEM).  Enildo afirmou que estuda se filiar ao PMDB. Nos próximos dias, ele deverá ter uma conversa com o atual presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), pré-candidato do PMDB a governador. A tendência é apoiar Henrique para o governo e a atual vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), para o Senado. Ele foi convidado pela pré-candidata ao Senado a atuar na campanha nos dois meses anteriores ao pleito.

Entre as razões de decepção com o DEM, Enildo cita o fato de que o partido “esqueceu” a capital, Natal, nas eleições municipais passadas. Em 2012, segundo ele, o partido da governadora Rosalba manteve preocupação eleitoral apenas com a sucessão no município de Mossoró, esquecendo-se de trabalhar por melhores resultados em Natal. O fato teria sido prejudicial à candidatura de Rogério Marinho (PSDB) a prefeito de Natal. Na época, o DEM de Agripino indicou o engenheiro e empresário Haroldo Azevedo Filho para vice de Rogério, mas o partido, mesmo tendo a governadora do Estado, teve participação inexpressiva na campanha.

“Se você se recordar da eleição passada, o DEM esqueceu Natal. Nós fomos abandonados pelo partido na eleição majoritária. O candidato apoiado era Rogério Marinho. Nós fomos abandonados. Os vereadores também foram abandonados pelo partido que se fixou na eleição de Mossoró, e deu no que deu”, disse Enildo, que foi um dos prejudicados pela falta de prestígio. “Mas se pagou um preço muito alto e terminou se perdendo a Prefeitura de Mossoró”, associou.

Ainda sobre a falta de prestígio, Enildo declarou que chegou a ser ventilado para ocupar o cargo de secretário estadual de Saúde, mas a promessa do governo Rosalba não passou disso. “Houve até sinalização, mas eu disse ainda que não queria assumir nenhum cargo de governo. Mas o político sobrevive da política. A questão de ter indicações do governo, eu me senti totalmente desprestigiado pelo partido, e nesse desfecho agora me levou definitivamente a decidir deixar o partido”.

Compartilhar:
    Publicidade