Com Camarões e Gana loucos por “bicho”, Argelia doa fortuna da Copa

Após classificação histórica para as oitavas de final, seleção encanta o mundo mais uma vez

Slimani (ao centro) comemora gol de Brahimi contra a Coreia do Sul. Foto: Divulgação
Slimani (ao centro) comemora gol de Brahimi contra a Coreia do Sul. Foto: Divulgação

Islam Slimani, atacante da seleção argelina que disputou a Copa do Mundo 2014 no Brasil, afirmou na quarta (2) que os jogadores da surpreendente equipe africana vão doar 100% do prêmio em dinheiro recebido por eles no Mundial para causas humanitárias. Assim, além de encantar as torcidas com seu futebol alegre e ofensivo, a equipe da Argélia encanta o mundo com uma atitude nobre.

A notícia foi muito bem recebida no meio esportivo, especialmente depois das polêmicas recentes da Copa do Mundo que envolveram brigas internas nas seleções de Camarões e Gana por acordos não cumpridos no pagamento de prêmios aos jogadores.

Estimada em cerca de US$ 9 milhões (aproximadamente R$ 20 mi), valor recebido por todos os oito times eliminados nas oitavas de final, a premiação da Argélia será totalmente revertida para o povo em situação de pobreza da faixa de Gaza, no Oriente Médio.

A notícia explodiu nas redes sociais graças ao jornalista jordano Waleed Abu Nada, que ouviu o jovem talento da equipe logo após a chegada da seleção à Argel, onde foi recebida pelo primeiro ministro do país, Abdelmalek Sellal, e por uma verdadeira multidão nas ruas da capital.

“Eles precisam do dinheiro mais do que nós”, disse Slimani, autor de dois gols na Copa do Mundo, sendo um deles o responsável pelo empate de seu time contra a Rússia.

Campanha histórica

Depois de ter deixado Rússia e Coréia do Sul para trás na primeira fase, se classificando ao lado da favorita Bélgica, a equipe de Slimani pegou uma dura pedreira nas oitavas de final. Mesmo enfrentando a toda-poderosa Alemanha, a seleção argelina não desanimou e arrancou um empate heróico por 0 x 0 nos 90 minutos regulamentares. Na prorrogação, a equipe não resistiu à pressão e acabou eliminada com dois gols de Schürrle e Özil, mas não sem antes descontar com Djabou.

Em sua quarta Copa do Mundo, as Raposas do Deserto foram o melhor time africano da competição e uma das sensações do torneio, ao lado de Costa Rica, Colômbia e da própria rival de grupo da Argélia, a Bélgica.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade