Especial: Oscar 2014

Sempre que chega esta época do ano, os meus amigos cinéfilos me perguntam pelo Ocar, qual o melhor, quem vai…

Sempre que chega esta época do ano, os meus amigos cinéfilos me perguntam pelo Ocar, qual o melhor, quem vai ganhar, etc.. Já é tradição responder que crítico de cinema não é adivinho, se fosse ia tentar descobrir os números da Megasena. Mas, neste ano, em que o Oscar acontece em pleno domingo de carnaval, essa afirmação nunca foi tão verdadeira. A razão? Há um equilíbrio grande entre os concorrentes.

Algum leitor pode até estranhar, falar em equilíbrio entre um drama no espaço (“Gravidade”), escravidão (“12 Anos de Escravidão”), corrupção (“O Lobo de Wall Street”), pirataria (“Capitão Phillips”), homofobia (“Clube de Compras Dallas”), intolerância religiosa (“Philomena”), e por aí vai.

A questão é que, além de temas delicados, são produções profissionais, bem hollywoodianas, dirigidas por grandes nomes da indústria, como se pode aferir pela quantidade de indicações por filme: “Gravidade” (10 indicações), “12 Anos de Escravidão” (9) e “Trapaça” (8). A disputa acirrada deixou de fora atores de nomes bem consagrados, como Tom Hanks e Emma Thompson.

O problema é que, com o confuso sistema de votação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas fica difícil fazer mais do que bons palpites. Para ajudar o leitor, e até encorajá-lo a ver alguma coisa antes da premiação, farei um breve resumo dos candidatos a melhor filme:

1. “12 Anos de Escravidão” – Baseado em fatos reais, é a história de um escravo liberto que é sequestrado em 1841 e forçado a trabalhar em uma plantação até ser resgatado doze anos mais tarde. Além de melhor filme, também está indicado para diretor (Steve McQueen), ator (Chiwetel Ejiofor), e mais seis categorias. Ainda em cartaz nos cinemas.

2. “Capitão Phillips” – Richard Phillips (Tom Hanks) é um comandante naval experiente, que é sequestrado por piratas da Somália. Começa uma longa e tensa negociação entre os sequestradores e os serviços especiais americanos, para tentar salvar o capitão antes que seja tarde. O filme teve mais cinco indicações. Já saiu dos cinemas.

3. “Clube de Compras Dallas” – Em 1986, o eletricista texano Ron Woodroof (Matthew McConaughey) é diagnosticado com AIDS e logo começa uma batalha contra a indústria farmacêutica. Procurando tratamentos alternativos, ele passa a contrabandear drogas ilegais do México… Concorre para Ator (McConaughey), Montagem, Roteiro original, e Maquiagem. Ainda não chegou nos nossos cinemas.

4. “Ela” – Theodore (Joaquin Phoenix) é um escritor solitário, que acaba de comprar um novo sistema operacional para seu computador. Para a sua surpresa, ele acaba se apaixonando pela voz deste programa informático, dando início a uma relação amorosa entre ambos. Concorre também para Canção original (“The Moon Song”), Roteiro original,Trilha sonora e Design de produção. Ainda inédito nos nossos cinemas.

5. “Gravidade” – Cientista que participa de sua primeira missão na órbita da Terra fica sozinha após a equipe que a acompanhava morrer em uma sucessão de desastres, e ela é obrigada a enfrentar uma série de obstáculos para sobreviver. Maior número de indicações, incluindo Diretor (Alfonso Cuarón), Atriz (Bullock), Fotografia, Montagem, Trilha Sonora, Design de Produção, Edição de Som, Mixagem de Som e Efeitos Visuais. Já saiu dos cinemas.

6. “Nebraska” – Woody Grant (Bruce Dern) é um homem idoso que acredita ter ganho US$ 1 milhão após receber pelo correio uma propaganda. Woody conta a todos sobre a possibilidade de se tornar um milionário, despertando a cobiça não só da família como também de parte dos habitantes da cidade. Indicado também para Diretor (Alexander Payne), Ator (Dern), e mais três categorias. Ainda inédito em nossos cinemas.

7. “O Lobo de Wall Street” – História de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio) um vigarista que ganhou milhões de dólares, principalmente com ações de empresas de fundo de quintal, praticando uma vida de fausto, regada a muito sexo, bebidas e drogas. Indicado para Diretor (Martin Scorsese), Ator (DiCaprio), Ator coadjuvante (Jonah Hill) e Roteiro adaptado. Já saiu dos cinemas.

8. “Philomena” – Irlanda, 1952. Philomena Lee (Judi Dench) é uma jovem que tem um filho recém-nascido quando é mandada para um convento. Sem poder levar a criança, ela o dá para adoção. Após sair do convento, Philomena começa uma busca pelo seu filho, junto com a ajuda de um jornalista, Martin Sixsmith (Steve Coogan). Indicado também para Melhor atriz (Dench), Roteiro adaptado, e Trilha sonora. Ainda em cartaz nos cinemas.

9. “Trapaça” – Irving Rosenfeld (Christian Bale) é um grande trapaceiro, que trabalha com a sócia e amante Sydney Prosser (Amy Adams). Os dois são forçados a colaborar com um agente do FBI (Bradley Cooper), penetrando no perigoso mundo da máfia. Os planos parecem dar certo, até a esposa de Irving, Rosalyn (Jennifer Lawrence), aparecer e mudar as regras do jogo. Indicado também para Diretor (David O. Russell), Atriz (Amy Adams), Ator (Christian Bale), Ator coadjuvante (Bradley Cooper), Atriz Coadjuvante (Jennifer Lawrence), Figurino, Montagem e Design de Produção.

Para não ficar sem dar algum “pitaco”, acredito que Alfonso Cuarón é o mais forte para Melhor Diretor de “Gravidade”, que também deve ganhar as categorias técnicas. “Frozen – Uma Aventura Congelante” deve ganhar como Melhor longa de animação. Como Hollywood adora atores que se deformam, a disputa está acirrada entre Matthew McConaughey, que perdeu 20 quilos para “Clube de Compras Dallas”, e Christian Bale, que ganhou outros tantos para o detestável “Trapaça”. Quem parece inabalável para Melhor Atriz é Cate Blanchett, por sua ótima atuação no intragável “Blue Jasmine”, de Woody Allen.

Estreia 1: “Sem Escalas”

Durante um voo transatlântico de Nova York a Londres, Bill Marks (Liam Neeson) recebe uma série de mensagens de texto criptografadas, demandando que ele instrua a companhia aérea a transferir US$150 milhões em uma conta fora do país. Até que ele garanta a transferência, um passageiro será assassinado a cada 20 minutos. Inicialmente Marks não dá atenção à ameaça, mas quando o primeiro passageiro aparece morto ele inicia uma investigação em pleno avião sobre quem possa ser o assassino. Cercado por poucas pessoas que ele inicialmente acredita serem confiáveis – incluindo sua vizinha de poltrona, Jen Summers (Juliane Moore) – o que se segue é um jogo de gato e rato com a vida de centenas de passageiros cujas vidas estão em perigo iminente. A direção é de Jaume Collet-Serra. “Sem Escalas” estreia nesta sexta-feira, na Sala 4 do Moviecom, Sala 1 do Cinemark, Salas 5 e 6 do Natal Shopping, e Sala 5 do Norte Shopping. Classificação indicativa 12 anos. Cópias dubladas e legendadas. (T. O.: “Non-Stop”)

Estreia 2: “As Aventuras de Peabody & Sherman”

Sr. Peabody (voz de Alexandre Borges) é um magnata de negócios, inventor, cientista, ganhador do prêmio Nobel, chef, duas vezes medalhista olímpico e gênio… Que também é um cachorro. Usando a sua engenhosa invenção, a máquina WABAC, o Sr. Peabody e seu filho adotivo, Sherman, viajam no tempo para vivenciar eventos que mudaram o mundo em primeira mão e interagir com as maiores personalidades da história. Mas, quando Sherman quebra as regras da viagem no tempo, nossos dois heróis entrarão em uma corrida para reparar a história e salvar o futuro. A direção é de Rob Minkoff. “As Aventuras de Peabody & Sherman” estreia nesta sexta-feira nas Salas 1 e 6 do Moviecom, Salas 6 e 7 do Cinemark, Salas 1 e 2 do Natal Shopping, e Salas 1 e 2 do Norte Shopping. Classificação indicativa livre. Cópias dubladas, exibição em 2D e 3D. (T. O.: “Mr. Peabody & Sherman”)

Estreia 3: “Alabama Monroe” (Sessão Cine Cult)

Didier (Johan Heldenberg), um músico de bluegrass, um legítimo cowboy que mora num trailer e cuida de uma pequena propriedade rural, é ateu e completamente apaixonado pela música. Sua vida muda quando conhece Elise (Veerle Baetens), uma linda e jovem tatuadora, também apaixonada pelo que faz, mas com uma visão de mundo completamente diferente. Apesar das diferenças, o relacionamento dá certo e eles têm uma filha, Maybelle (Nell Cattrysse). Aos seis anos a menina fica gravemente doente e a família se desestabiliza. A direção é de Felix Van Groeningen. “Alabama Monroe” será exibido na quarta-feira (05/02) e quinta-feira (06/02), na Sala 7 do Cinemark, na sessão de 19h30. Classificação indicativa 14 anos. (T. O.: “The Broken Circle Breakdown”)

Pré-estreia 1: “300 – A Ascensão do Império”

Após a morte do pai, Xerxes (Rodrigo Santoro) dá início a uma jornada de vingança e ruma em direção à Grécia, com seu exército sendo liderado por Artemisia (Eva Green). Enquanto os 300 espartanos liderados por Leonidas tentam combater o Deus-Rei, os exércitos do resto da Grécia se unem para uma batalha com as tropas de Artemisia no mar. Themistocles (Sullivan Stapleton) é o responsável por liderar os gregos. A direção é de Noam Murro. “300 – A Ascensão do Império” terá pré-estreia na próxima quinta-feira na Sala 6 do Moviecom (21h50), Sala 6 do Cinemark, Sala 2 do Natal Shopping (22h30), e Sala 2 do Norte Shopping (20h45). Classificação indicativa 18 anos. Exibição em 3D, cópias dubladas e legendadas. (T. O.: “300: Rise of an Empire”)

Thor – O Mundo Sombrio

Enquanto Thor (Chris Hemsworth) liderava as últimas batalhas para conquistar a paz entre os Nove Reinos, o maldito elfo negro Malekith (Christopher Eccleston) acordava de um longo sono, sedento de vingança e louco para levar todos para a escuridão eterna. Alertado do perigo por Odin (Anthony Hopkins), o herói precisa contar com a ajuda de seu irmão, o traiçoeiro Loki (Tom Hiddleston), para salvar o universo do grande mal. Mas os caminhos de Thor e da amada Jane Foster (Natalie Portman) se cruzam novamente e, dessa vez, a vida dela está realmente em perigo. O box traz o filme com tela widescreen anamórfico e Áudio em Dolby Digital 5.1, e, como extras, Curta Marvel: Saúdem o Rei!, Especiais: Uma Jornada de Irmãos – Thor & Loki; Um Olhar Exclusivo em Capitão América: O Soldado Invernal; Fazendo a Trilha Sonora com Brian Tyler, Cenas Inéditas e Estendidas, Erros de Gravação, e Comentários em Áudio (T. O.: “Thor: The Dark World”)

“Pretty Baby – Menina Bonita”

Em 1912, na cidade de New Orleans, a filha de uma prostituta é criada em um bordel, onde cuida do seu irmão e se prepara para seguir os passos da mãe. Com doze anos de idade, ela tem sua virgindade leiloada, a mãe se casa e a abandona, e a menina casa com um fotografo bem velho do que ela. Obra prima atemporal, e inédita. Filme polêmico do diretor Louis Malle, causou escândalo com a exposição da adolescente Brooke Shields. Filme com formato de tela widescreen anamórfico e áudio em Dolby Digital 5.1. (T. O.: “Pretty Baby”)

“Adeus, Meninos”

França, inverno de 1944. Julien Quentin (Gaspard Manesse) é um garoto de 12 anos que frequenta o colégio St. Jean-de-la-Croix, em grandes dificuldades por conta da 2ª Guerra Mundial. Ele ganha um inimigo com a chegada de Jean Bonnett (Raphael Fejto), um introvertido garoto. Mais tarde, Julien descobre que o menino é judeu e os dois se tornam melhores amigos, mas a tragédia chega à escola quando a Gestapo invade o local. Tela widescreen anamórfico e Áudio em Dolby Digital 5.1, e, como extras, “O Imigrante” (1917) de Charles Chaplin, Joseph o anti-herói de Adeus Meninos, Entrevista de Pierre Billard biógrafo de Malle, Depoimento da atriz Candice Bergen, Trailer e Teaser. (T. O.: “Au Revoir Les Enfants”)

“O Sopro do Coração”

Laurent, de 15 anos de idade, vive em Dijon no seio de uma família burguesa de tradições rígidas. Não se dá muito bem com seu pai, nem com seus irmãos. É apaixonado por sua mãe, Clara, mulher muito livre que está cansada do marido. Laurent está naquela idade quando tudo é revolta. É a transição da infância para a adolescência, são as primeiras experiências sexuais. Depois de uma escarlatina, contrai um problema no coração, e vai se tratar em uma estação climática, acompanhado de sua mãe. Longe de casa, com todo o tempo do mundo só para eles, aprofundam essa relação de paixão que os une. Direção de Louis Malle. Filme com tela widescreen anamórfico e Áudio em Dolby Digital 2.0. (T. O.: “Le souffle au coeur”)

Compartilhar: