Esqueça os tubarões: mosquitos são a maior ameaça letal ao homem

Malária mata 725 mil pessoas por ano, contra 10 mortes causadas por tubarões e 25 mil pela raiva transmitida por cães no mesmo período

uykyuytktyktyk

Tubarões? Leões? Elefantes? Que nada. Essas feras são fichinha perto dos mosquitos em termos de ameaça à vida humana. Por ano, os mosquitos da malária matam 725 mil pessoas. Homens matam 475 mil, a raiva de cães faz 25 mil vítimas letais e as cobras, 50 mil. Os tubarões, coitados, matam 10 pessoas por ano, leões e elefantes apenas 100, cada.O levantamento é da Fundação Bill e Melinda Gates, que há anos trava uma luta contra a malária e trabalha na erradicação de outras doenças transmitidas por mosquitos, como dengue e febre amarela.

Existem mais de 2.500 espécies de mosquitos, encontrados em mais de 100 países e todas as regiões além da Antártica. Durante as épocas de reprodução de pico, eles superam todos os outros animais na Terra, exceto cupins e formigas, escreveu Gates. “’E eles afetam os padrões populacionais em grande escala: em muitas zonas de malária, a doença leva as pessoas para o interior e para longe da costa, onde o clima é mais acolhedor para os mosquitos”.

Várias outras doenças causam muitas mortes, mas nenhuma chega perto da devastação causada pelos mosquitos. A esquistossomose, por exemplo, responsável por dez mil mortes por ano, é transmitida por minúsculos caracóis parasitas que vivem em rios e lagos em regiões tropicais e subtropicais de todo o mundo. Eles escavam na pele humana, aproximando-se do abdômen para colocar seus ovos. A doença , que pode incluir a paralisia das pernas e vômitos de sangue, bem como os sintomas semelhantes aos da gripe, é causada pela reação do sistema imunitário aos ovos e está associada a condições precárias de vida, como falta de saneamento básico.

Cerca de dez mil pessoas morrem a cada ano por doença de Chagas, transmitida pelo inseto conhecido como barbeiro. Estima-se que entre sete e oito milhões de pessoas que vivem na América Central e América do Sul têm a doença de Chagas. Seus sintomas iniciais incluem febre, inchaço dos gânglios linfáticos e dores de cabeça. Cerca de 70% das pessoas não apresentam outros sintomas, mas algumas sofrem de um esôfago dilatado, e outros têm ampliado os ventrículos do coração, o que pode resultar em insuficiência cardíaca.

Em outros lugares, a doença do sono mata mais dez mil pessoas por ano. Em humanos, a bile injetada pela mosca tsé-tsé irrompe em uma ferida vermelha e, dentro de algumas semanas, a pessoa pode sentir febre, aumento dos gânglios linfáticos, dores musculares e nas articulações, dores de cabeça e irritabilidade. À medida que a doença se instala, as pessoas podem sofrer alterações na personalidade, confusão, fala arrastada , convulsões e dificuldade em andar e falar.

 

 

Fonte: O Globo

Compartilhar: