Estreia 1: “Até Que a Sorte Nos Separe 2″

Três anos depois, Tino (Leandro Hassum) e Jane (Camila Morgado) estão mais uma vez em dificuldades financeiras. O saldo bancário…

Três anos depois, Tino (Leandro Hassum) e Jane (Camila Morgado) estão mais uma vez em dificuldades financeiras. O saldo bancário do casal é salvo graças ao inesperado falecimento de tio Olavinho, que deixou uma herança de R$ 100 milhões a ser dividida igualmente entre Jane e sua mãe, Estela (Arlete Salles). Como o último desejo do tio foi que suas cinzas sejam jogadas no Grand Canyon, Tino aproveita para levar a esposa e dois de seus filhos para conhecer Las Vegas. Entretanto, ele se empolga com a jogatina de um cassino e perde todo o dinheiro ganho por Jane na mesa de pôquer. Para piorar a situação, ainda fica devendo US$ 10 milhões a um capanga da máfia mexicana (Charles Paraventi), que deseja receber o dinheiro a todo custo. A direção é de Roberto Santucci. “Até Que a Sorte Nos Separe 2″ estreia nesta sexta-feira, nas Salas 1, 2 e 6 do Cinemark, e nas Salas 4 e 7 do Moviecom. Classificação indicativa dez anos. (T. O.: “Até Que a Sorte Nos Separe 2″)

 

Pré-estreia: “Confissões de Adolescente”
Paulo (Cássio Gabus Mendes) está passando por dificuldades financeiras para sustentar as quatro filhas, Tina (Sophia Abrahão), Bianca (Bella Camero), Alice (Malu Rodrigues) e Karina (Clara Tiezzi), depois que anunciaram um novo aumento no aluguel. Quando ele avisa que eles precisam se mudar do apartamento onde vivem, na Barra, elas se comprometem em ajudar de alguma forma, começando a cortar despesas bobas e ajudando nas tarefas domésticas. Mas, enquanto precisam lidar com essa novidade, o quarteto tem ainda outras experiências típicas, relacionadas à idade de cada uma delas. Apesar dos conflitos, a união entre elas permanece e as experiências, ao que tudo indica, irão contribuir ainda mais para manter a família unida. A direção é de Daniel Filho e Cris D’Amato. “Confissões de Adolescente” terá pré-estreia nesta semana, na Sala 3 do Moviecom, sessão de 14h35. Classificação indicativa 12 anos. (T. O.: “Confissões de Adolescente”)

 

Estreia 2: “Álbum de Família”
Baseado no livro de mesmo nome, “Álbum de Família” conta a história de três irmãs que são obrigadas a voltar para casa e cuidar da mãe viciada em drogas (Meryl Streep), depois que o pai alcoólatra as abandona. O encontro provoca diversos conflitos e revela segredos do passado de cada um. No elenco estão, também, Julia Roberts, Ewan McGregor, Juliette Lewis e Chris Cooper. A direção é de John Wells. “Álbum de Família” estreia nesta sexta-feira, na Sala 5 do Cinemark. Classificação indicativa 12 anos. (T. O.: “August: Osage County”)

 

Estreia 3: “Frozen – Uma Aventura Congelante”
“Frozen – Uma Aventura Congelante” é uma animação musical da Disney baseada no conto de fadas da Rainha da Neve, publicado por Hans Christian Andersen em 1845. Na história, a menina Gerda parte em uma jornada mágica em busca de seu melhor amigo, Kay, que foi levado pela Rainha da Neve. No filme, a garota Anna (voz de Kristen Bell) se une ao homem da montanha Kristoff numa jornada para encontrar Elsa, a Rainha da Neve (voz de Idina Menzel), e colocar um fim ao feitiço que colocou seu reino sob um inverno eterno. A direção é de Chris Buck e Jennifer Lee. “Frozen – Uma Aventura Congelante” estreia nesta sexta-feira, na Sala 2 do Cinemark, e na Sala 6 do Moviecom. Classificação indicativa livre. Cópias dubladas, exibição em 3D. (T. O.: “Frozen”)

 

Sessão Cine Cult: “Frances Ha”
Frances (Greta Gerwig) divide um apartamento em Nova York com Sophie (Mickey Sumner), sua melhor amiga. Ela recusa o convite do namorado para que more com ele justamente para não deixar Sophie sozinha, mas a amiga não toma a mesma atitude quando surge a oportunidade de se mudar para um apartamento melhor. A partir de então tem início a peregrinação de Frances em busca de um novo lugar que se adeque às suas finanças, já que ela é apenas aluna em uma companhia de dança à espera de uma chance de integrar o grupo de bailarinos que encenará o espetáculo de Natal. Mesmo diante das dificuldades, Frances tenta manter o alto astral diante os problemas que a vida adulta traz. A direção é de Noah Baumbach. “Frances Ha” será exibido na segunda-feira (30/12) e quinta-feira (02/01), na Sala 3 do Cinemark, na sessão de 19h40. Classificação indicativa 16 anos. (T. O.: “Frances Ha”)

 

O que está em cartaz
Chegamos ao fim de mais um ano, e é o momento daquela parada estratégica para pensar no que passou, e planejar os dias vindouros, que desejo que sejam prósperos e gratificantes para todos. Neste final de semana as estreias são a comédia nacional “Até Que a Sorte Nos Separe 2″, o drama “Álbum de Família”, a animação “Frozen – Uma Aventura Congelante”, e a pré-estreia de “Confissões de Adolescente”. Continuam em cartaz a ficção-científica “Ender’s Game: O Jogo do Exterminador”, com Harrison Ford, a comédia “A Vida Secreta de Walter Mitty”, com Ben Stiller, a fantasia “O Hobbit: A Desolação de Smaug”, e a comédia nacional “Crô – O Filme”. Nas programações exclusivas, o Cinemark exibe o drama “Frances Ha” na Sessão Cine Cult, enquanto o Moviecom mantém o suspense “Carrie: A Estranha”.

 

Especial: Retrospectiva 2013

Certamente os meus queridos leitores irão perdoar a pretensão do título desta matéria, pois não teria a condição de passar um pente fino em todos os acontecimentos cinematográficos do ano, o que não caberia neste espaço.

A intenção, na verdade, é compartilhar com os senhores filmes ou fatos que chamaram a atenção no ano, sabendo de antemão que a minha lista dos melhores certamente vai diferir muito de qualquer pessoa. Afinal de contas, embora o cinema tenha os seus parâmetros técnicos, a avaliação se um filme foi bom ou ruim depende muito da ótica do espectador, seus gostos pessoais, seu repertório, sua história de vida, e até mesmo do estado de espírito em que se encontrava ao assisti-lo.

Dito isto, comecemos não pelos filmes, mas, pelos meios de assisti-los. Para os natalenses, o ano terminou bem, com mais dois locais com cinema multiplex, um no Natal Shopping, o outro no Norte Shopping, ambos da rede Cinépolis, aumentando o número de salas digitais na cidade. Quem sabe agora, com quatro locais diferentes possamos ter uma programação diferenciada, com títulos mais diversificados, e não só os mesmos blockbusters, além de filmes com áudio original, pois nos últimos tempos há uma predominância de filmes dublados.

No ambiente doméstico, o plasma deu seus últimos suspiros, com o anúncio da Panasonic de que não produziria mais televisores nessa tecnologia. Nós, cinéfilos, lamentamos, pois era o que mais se assemelhava à imagem do cinema, mas, com a chegada de resoluções maiores que Full HD, é impossível para o plasma acompanhar essas resoluções a um custo competitivo.

A novidade que chegou ao mercado foi o televisor 4k, ou Ultra HD, que como o nome sugere, tem uma resolução de 3.840 x 2.160 (ou cerca de 8 milhões de pixels). Embora ainda não haja mídia capaz de explorar essa resolução, com os televisores cada vez maiores, com tamanhos acima de 60 polegadas, é só questão de tempo. E falando em custos, ter um “brinquedinho” desses em casa ainda está difícil, pois um modelo de 55 polegadas sai “por apenas” R$ 12.999,00…

E, no mundo do cinema, o ano de 2013 privilegiou a ficção-científica, com as inúmeras produções do gênero como “Jogos Vorazes: Em Chamas”, “Elysium”, “Guerra Mundial Z”, “Além da Escuridão – Star Trek”, “Gravidade”, “Oblivion”, “Depois da Terra”, além dos tradicionais super-heróis “Thor: O Mundo Sombrio”, “Wolverine: Imortal”, “O Homem de Aço” e “Homem de Ferro 3”.

Mesmo com toda essa carga, o mundo da fantasia fechou o ano com chave de ouro, com a espetacular sequência de Peter Jackson, “O Hobbit: A Desolação de Smaug”.

No gênero drama, apesar do grande número de produções, algumas se destacaram, como a deliciosa farra dos velhinhos Morgan Freeman, Michael Douglas, Robert de Niro e Kevin Kline em “Ultima Viagem a Vegas”, as produções francesas “Amor”, “Dentro da Casa” e “Azul é a Cor Mais Quente”, as cinebiografias “Lincoln”, “Lovelace” e “Jobs”, os intrigantes “Terapia de Risco” e “Os Suspeitos”.

Nos filmes infantis, os destaques foram menores, mas, igualmente adoráveis, como “Universidade Monstros”, “Os Croods”, “Fuga do Planeta Terra”, “Planeta 51” e “Meu Malvado Favorito 2”.

O cinema brasileiro, que tem mantido boas audiências, repete a tendência de fazer filmes que parecem mais programas televisivos, geralmente humorísticos, com personagens conhecidos. Uma interessante transição foi “Crô – O Filme”, cujo protagonista originalmente era personagem de uma novela.

Dois outros títulos me chamaram muito a atenção. O primeiro foi “Serra Pelada”, com um retrato fiel e uma reconstituição de época rigorosa, mostrando o estranho universo do maior garimpo de ouro a céu aberto do mundo. O outro, “Cine Holliúdy”, apesar de mostrar uma cidadezinha do nordeste, trouxe imensas recordações a todos os que conviveram com os cineminhas de bairro até os anos 1970.

E finalmente, ainda tratando do cinema nacional, foi uma agradável surpresa a reedição do FESTNATAL, um dos festivais de cinema mais tradicionais do Brasil, do qual já tive a oportunidade de participar em edições anteriores.

E para 2014, a tecnologia e a diversificação da banda larga de internet favorecerão a distribuição de filmes em “streaming”, por serviços como Netflix e Netmovies, por exemplo. Embora o 4k ainda seja uma realidade distante, a diversificação dos aparelhos LCD/LED barateou bastante os preços, o que deve facilitar a aquisição de novos televisores, principalmente em ano de Copa do Mundo.

Para finalizar, desejo a todos os meus leitores um 2014 repleto de realizações, onde o universo do cinema seja um dos agradáveis complementos do seu dia a dia.

Compartilhar: