Universitários querem melhor representação em Conselho de Transporte Urbano

Kléber Fernandes diz não ter influência sobre entidade. Géssica Régis afirma que grupos não representam estudantes

Reajuste-de-passagem-de-onibus-WR-(11)

Os estudantes de universidades presentes em Natal reclamam da falta de espaço no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (CMTTU). Na semana passada, foram escolhidas novas entidades para representar os estudantes da capital no órgão. Mas os novos conselheiros continuam os mesmo.

Para a estudante de história da UFRN e ativista pró-transporte público, Géssica Régis, a União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Norte (UEE) e Associação Beneficente dos Estudantes do Rio Grande do Norte (Abern) não possuem representatividade suficiente entre estudantes universitários.

A primeira entidade foi reconduzida para ocupar o assento de representante dos estudantes de ensino superior e a segunda é a suplente. “Essas entidades não representam os estudantes, são donos de fábricas de carteirinhas de estudante. Quem representa os estudantes está nas ruas”, denunciou.

Ela também criticou a declaração da secretária de Mobilidade Urbana de Natal, Elequicina Santos, dado ontem ao JORNAL DE HOJE sobre o conselheiro que representa os estudantes de ensino superior no CMTTU. “Não existe exigência que ele seja estudante na legislação”, disse ontem (28) a secretária. Dentre outras atribuições, o conselho vota os reajustes na tarifa de ônibus.

Na opinião da ativista, “é um absurdo. Aqui os estudantes são realmente contrários ao aumento. Só realmente quem vive a realidade do estudante sabe como é”. O Conselheiro que ocupa o assento dos estudantes de ensino superior, Gleydson Batalha, deu voto favorável ao reajuste que resultou em uma tarifa de R$ 2,35. “Mesmo se ele ainda fosse estudante não nos representaria, porque ele tem um lado e não é o dos estudantes”, acusou.

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) não possui membros do Diretório Central dos Estudantes em Natal, uma vez que a sede da instituição fica em Mossoró. Mas nossa equipe de reportagem entrou em contato com a vice-presidente do Centro Acadêmico do Curso de Direito em Natal, Lênora Santos Peixoto.

Ela destaca que os estudantes da universidade têm sim o desejo de participar desse e de outros espaços de discussão na esfera pública. “Eu tenho certeza que não é por falta de interesse dos estudantes. Por sermos parte desse contexto, temos muito a colaborar com esse debate. Acredito que falta um diálogo para ocupar esses espaços de poder para que essas decisões sejam tomadas de forma mais horizontal”, considerou Lênora Peixoto.

De acordo com o que a secretária de Mobilidade Urbana, Elequicina Santos, disse ontem, as entidades estudantis devem apresentar uma documentação para tornarem-se aptas a participar do Fórum de Entidades Estudantis. Dessa forma teriam a possibilidade de disputar assento no Conselho de Trânsito e Transporte Urbano.

Nenhuma das entidades estudantis das universidades da capital (UFRN, UnP e UERN) estiveram presentes durante a reunião do Fórum do município sexta passada – houve apenas um representante da UnP, como ouvinte. A secretária informou que foi enviada solicitação para que essas entidades apresentassem a devida documentação. De acordo com a Semob, em breve haverá uma reformulação na composição do conselho, o que dará possibilidade para as entidades que não participaram do processo até agora.

Influência

A entidade que foi reconduzida ao assento de representante dos estudantes de nível superior no Conselho de Transporte e Trânsito Urbano, UEE/RN, já foi presidida pelo atual secretário-chefe do Gabinete Civil do Prefeito, Kleber Fernandes. Inclusive, o atual presidente, Gleydson Batalha, era vice de Fernandes.

Porém, o secretário afirma não ter influência sobre as decisões de Batalha “Isso não tem nenhuma influência ou repercussão na votação do conselho. Todas as instituições estudantis são democráticas e elegem seus representantes de forma democrática. As pessoas presidem as instituições, o tempo passa e novas pessoas assumem. Isso é normal”, comentou, acrescentando que entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) já foi presidida por pessoas que depois entraram para a política partidária.

Reajuste sem revolta

A chuva arrefeceu a revolta. O ato público confirmado para o primeiro dia útil de aumento no preço da passagem de ônibus em Natal não aconteceu. Mas uma nova plenária dos ativistas da “Revolta do Busão” está marcada para amanhã (30), no Centro de Convivência do Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Cerca de 30 pessoas se concentraram nas proximidades da parada do circular que fica ao lado do shopping Via Direta. Na mesma região, um forte aparato policial: polícia militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) de Natal.

Em um dado momento, só alguns dos manifestantes que estavam concentrados foram revistados. “Todas as manifestações agora vão ser assim, como foi no ato passado. Eles revistaram como estratégia de intimidação”, comentou Géssica Régis. “A gente avaliou não fazer por causa da chuva e aí vai ter uma plenária na próxima quarta-feira”, acrescentou.

Compartilhar:
    Publicidade