Estudantes de UnP protestam contra assaltos e até sequestro relâmpago

Durante a mobilização, os estudantes estarão com, faixas, cartazes e se vestiram de preto para mostrar a insatisfação com a situação

UNP-JA

Cansados com a falta de segurança que vivenciam no dia a dia, alunos da Universidade Potiguar (UnP), realizarão, a partir das 18h desta segunda-feira (14), uma mobilização em frente à unidade da Salgado Filho da instituição.

O movimento será organizado pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Potiguar (DCE-UnP) e pelos Centros Acadêmicos de diversos cursos da instituição. A iniciativa visa cobrar mais segurança pública para os universitários e moradores das regiões próximas ao Campus. De acordo com o presidente do DCE-UnP, Tony Robson, praticamente todos os dias os estudantes são vítimas da criminalidade.

“As ações acontecem nos campus da Nascimento de Castro e Salgado Filho, mas principalmente na Salgado Filho. Quase todos os dias estudantes são assaltados. Os carros que são estacionados nos arredores da universidade também são arrobados. Já tivemos sequestro relâmpago. O insegurança chegou em um nível tão alto que na semana passada três estudantes foram assaltados a mão armada na mesma noite”, destacou.

Ainda segundo Tony, as abordagens acontecem normalmente na parte da noite. “Como as aulas acabam tarde, os criminosos ficam esperando para realizarem os assaltos. As abordagens dos bandidos acontecem no trajeto dos estudantes da universidade para os carros ou para as paradas de ônibus. Mas já teve caso de um estudante ser assaltado na porta da universidade”. O comando geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte foi acionado para tentar alguma medida para diminuir a insegurança, mas as respostas são sempre as mesmas. “Nos reunimos duas vezes com a Polícia Militar. Já mandamos ofícios relatando o estado de insegurança que estamos enfrentando. Porém, sempre acabamos recebendo a mesma resposta, que o efetivo é pouco, que a estrutura da corporação está comprometida e que por isso eles não podem aumentar a segurança por aqui”, frisou Tony Robson.

Durante a mobilização, os estudantes estarão com, faixas, cartazes e se vestiram de preto para mostrar a insatisfação com a situação. “A expectativa é que mais de 500 estudantes participem do ato, que cobrará das autoridades mais segurança pública, não fecharemos nenhum avenida, pois nossa intenção não é causar transtorno para a população. Queremos que a sociedade acorde para a situação. Parece que, como a insegurança já é rotina na nossa cidade, a população já está acostumada e essa situação já ficou banalizada, normal. Então iremos mostrar para a população a nossa insatisfação e que essa situação precisa mudar”, finalizou o diretor do DCE-UnP.

Compartilhar:
    Publicidade