Estudo afirma que jogar como vilão no videogame te deixa mais cruel

Escolha dos personagens nos games influencia a personalidade do jogador

Durante o estudo, os que jogaram como Voldemort quiseram ser mais cruéis com os outros participantes. Foto: Divulgação/Warner Bros
Durante o estudo, os que jogaram como Voldemort quiseram ser mais cruéis com os outros participantes. Foto: Divulgação/Warner Bros

O debate sobre a relação entre videogames e violência não é novidade. Agora, um estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sugere que pessoas que jogam na perspectiva do vilão se tornam mais cruéis no mundo real.

De acordo com a pesquisa, o modo como os jogadores representam a si próprios no mundo virtual pode afetar a forma como eles se comportam em relação aos outros no mundo real.

Responsável pelo estudo, o pesquisador Gunwoo Yoon disse ao Daily Mail que os resultados indicam que apenas cinco minutos em ambientes virtuais podem levar gamers a tratar bem ou castigar estranhos, dependendo do personagem escolhido.

Yoon e Patrick Vargas, outro coautor do estudo, explicam que os ambientes virtuais dão a oportunidade de assumir identidades e viver experiências que não são possíveis na vida real, fornecendo um meio de observação, imitação e modelagem.

Super-Homem ou Voldemort

Os pesquisadores recrutaram 194 estudantes universitários para investigar se as experiências como heróis ou vilões podem mudar o comportamento dos jogadores no cotidiano. No experimento, os alunos foram divididos aleatoriamente para jogarem como o herói Super-Homem, o vilão da franquia Harry Potter, Voldemort, ou no papel de um personagem neutro.

Depois de jogar por cinco minutos, os estudantes fizeram um teste cego. Cada um foi orientado a escolher chocolate ou molho de pimenta para derramar sobre os pratos em que outros participantes comeriam.

Aqueles que jogaram como Super-Homem derramaram chocolate, em média, duas vezes mais do que molho de pimenta. Os pesquisadores descobriram que os heróis no jogo derramaram mais chocolate do que aqueles que jogaram como vilões e personagens neutros.

Por outro lado, os que jogaram como vilões derrubaram de molho de pimenta quase o dobro da quantidade de chocolate, sugerindo um maior desejo de causar dor nos outros participantes.

Um segundo experimento, feito com 125 estudantes confirmou os resultados do primeiro teste. Ele mostrou que a escolha do personagem influencia muito mais o jogador do que alguém que esteja apenas assistindo a outra pessoa jogar.

Curiosamente, o grau em que os participantes se identificam com seu avatar não parece fazer diferença. Segundo Yoon, as pessoas tendem a ignorar a influência da escolha dos personagens na vida real.

 

Fonte: R7

Compartilhar: