“Eu era a mulher que derrubava a Globo”, diz Luiza Ambiel, musa da banheira

Em entrevista exclusiva, atriz relembra a banheira do Gugu e revela que Hebe ajudou a escolher seu nome artístico

Luiza Ambiel relembrou sua trajetória desde o início - há 20 anos - quando surgiu de biquíni em uma banheira que dividia com famosos numa gincana do 'Domingo Legal'. Foto: Divulgação
Luiza Ambiel relembrou sua trajetória desde o início – há 20 anos – quando surgiu de biquíni em uma banheira que dividia com famosos numa gincana do ‘Domingo Legal’. Foto: Divulgação

Extrovertida e com riso solto. Assim Luiza Ambiel chegou ao local onde o bate papo foi marcado numa manhã nublada na capital paulista. Entre uma troca de roupa e outra para as fotos, relembrou sua trajetória desde o início – há 20 anos – quando surgiu de biquíni em uma banheira que dividia com famosos numa gincana do “Domingo Legal”, de Gugu Liberato, no SBT.

“Eu fazia tanto sucesso, já tive que andar com 20 seguranças em alguns eventos, no aeroporto era uma muvuca. Meu título era ‘a mulher que derruba a Globo'”, relembrou. “Mas eu já tinha consciência de que aquilo passaria e dizia para mim mesma que precisava me preparar para não pirar.”

A audiência do dominical subia toda vez que a morena, com 22 anos à época, entrava na água morna da banheira. Por vezes, o biquíni escapava, mostrava demais. Alguns convidados chegavam a dar uma forcinha. “Briguei com o Marcelo de Nobrega no ar, de porrada mesmo. Ele desamarrou meu biquíni, imagina? Até hoje, se alguém fizer isso, vai levar porrada. Ele era meu chefe na ‘Praça é Nossa’, cheguei a sair do programa, mas voltamos a nos falar depois.”

Atualmente com 42 anos, Luiza se formou atriz e jornalista, mas até hoje é convidada para participar de eventos com banheira e sabonetes. Convites prontamente negados. “Acho que fica ridículo, como é que eu vou fazer isso com 42 anos? Até brinco no meu espetáculo dizendo que antes eu andava nas ruas e o público me chamava de ‘menina da banheira’, depois de um tempo era ‘moça da banheira’, hoje já é ‘mulher da banheira’, daqui uns dias vai ser ‘velha da banheira’. O público pira, mas é verdade”, disse rindo.

Confira a entrevista com Luiza Ambiel:

Você já tem 20 anos de carreira e há 15 deixou a “Banheira do Gugu”. Como faz para se manter em evidência?
Luiza Ambiel: Tem que trabalhar muito a sua cabeça porque é muito tempo. Eu não tinha a intenção de ir para a banheira, queria ser atriz e já estava estudando para isso, mas não teve como. Tive que ir para a banheira e depois para o teatro. No teatro, nunca tive a visibilidade que tinha na banheira, então foi difícil. Fiz “Casa dos Artistas”, participações em novela, “A Praça é Nossa”, então fui conseguindo me manter. O fato de ser uma pessoa que sempre fala o que pensa, doa a quem doer, também me ajudou, sempre dava uma polêmica. A internet me ajudou muito, as pessoas sempre veem os vídeos, relembram.

Como foi na época do programa e depois?
Luiza Ambiel: Eu fazia tanto sucesso, tinha que andar com 20 seguranças em alguns eventos, no aeroporto era uma muvuca. Mas já tinha consciência de que aquilo passaria e dizia para mim mesma que precisava me preparar para não pirar. Eu estava no ar todos os domingos, com uma mega-audiência, meu título era “a mulher que derruba a Globo”, então ia trabalhando a cabeça. Quando saí da banheira, automaticamente foi passando.

Muita gente entra até em depressão quando vê a fama acabando. Chegou a acontecer com você?
Luiza Ambiel: Não cheguei a entrar em depressão porque sou uma pessoa forte, rezo bastante e soube trabalhar minha cabeça.

Já pensou em abandonar tudo e sair do meio artístico?
Luiza Ambiel: Já pensei, sim. Fui trabalhar no jornalismo esportivo da Gazeta, mas estranhei demais. Trabalho com humor, sempre fiz comédia, e era outra pegada, mais estressante. Na época em que fui para a Gazeta, o Carlos Alberto me chamou para voltar para a “Praça” e voltei. Já pensei em parar tudo várias vezes. Não é só o trabalho em si, para estar na mídia tem que estar sempre bem, escovada, maquiada, malhada, humorada, tem um custo isso. Mas quando penso em parar, aí sim me dá tristeza, eu adoro o público.

Atualmente você faz “A Praça é Nossa”, mas sua relação com o programa já é antiga, não é?
Luiza Ambiel: Antes da banheira eu já fazia “A Praça é Nossa”. Participei de um quadro do Gugu e fui convidada para fazer figuração na “Praça” e na Hebe. Entrei em 1992, saí e voltei três vezes. Saí depois de brigar com o Marcelo de Nobrega, saí quando engravidei e quando fui para a Gazeta. Agora já estou há seis anos lá.

Falando em Hebe, é verdade que foi a apresentadora que te ajudou a escolher seu nome artístico?
Luiza Ambiel: Sim. Meu nome é Maria Luiza Batista de Almeida, mas na época eu era casada e usava o nome do meu ex-marido. Quando eu fazia “Garota da Copa”, a Hebe anunciava: ‘Com vocês, Maria Luiza, de Indaiatuba’, aquilo me matava (risos). Tinha que criar um nome diferente, a produção não queria que eu mudasse e falei: “Hebe, meu nome é Luiza Ambíl”, e ela disse: “Então faz Luiza Ambiel”, e a partir daquele dia ficou.

Gata dominava as tardes de domingo na TV. Foto: Divulgação
Gata dominava as tardes de domingo na TV. Foto: Divulgação

Você ganhou dinheiro na época da banheira, investiu em algo? Como é sua vida financeira hoje?
Luiza Ambiel: Quando comecei na televisão, minha primeira grande preocupação era ter onde morar, então já consegui manter essa parte. Sou pé no chão, não saio gastando, sou preocupada com o amanhã. Atualmente, tiveram meses de dar uma segurada, uma cortada… Fui estudar também, me formei em jornalismo, trabalhei um tempo como repórter no “Mulheres”, na Gazeta, sou radialista. Desempregada eu sempre pensei que não poderia ficar.

Na época da banheira rolavam muitas cantadas nos bastidores? Já chegou a brigar com algum convidado por isso?
Luiza Ambiel: Eu tenho o pavio muito curto, me controlo mais hoje e aprendi a lidar com as cantadas. Hoje recebo e tiro uma onda. No início, quando comecei na banheira, não tinha mulher de biquíni na TV, os caras confundiam um pouco a situação e alguns artistas achando que pelo fato de eu estar ali de biquíni, eles tinham esse direito. Teve um cantor que nem vou falar o nome, porque está em processo até hoje. Ele fez banheira, me encontrou em uma festa e veio me cantar. Teve barraco, deu policia, todo mundo foi para a delegacia. Eu também briguei com o Marcelo de Nobrega no ar de porrada mesmo, ele desamarrou meu biquíni, imagina? Até hoje, se alguém fizer isso, vai levar porrada. Ele era meu chefe no “A Praça é Nossa”, cheguei a sair do programa, mas voltamos a nos falar depois.

Depois de sua saída do programa, o Gugu te ajudou de alguma forma?
Luiza Ambiel: Ele me ajudou ali, ele que me lançou. Quando fui fazer a Playboy, a revista queria que eu fizesse primeiro só fotos para páginas internas e em uma outra oportunidade eu seria a capa. Comentei com o Gugu e ele disse para eu não aceitar e só fazer se fosse a capa. Ele era exigente, pegava no pé, gostava de tudo certinho. Me encontrei com ele em algumas festas depois e sempre me tratou muito bem.

Posaria nua hoje em dia?
Luiza Ambiel: Hoje não. Quando posei a primeira vez, comprei um apartamento e dois carros e, para quem não tinha nada, foi ótimo. Depois dei o apartamento, investi mais um pouco numa chácara e depois dei a chácara na casa que moro hoje, que é uma boa casa. Fui construindo. Se fosse um cachê bem bacana até pensaria. Mas já fiz três vezes, hoje tenho uma filhinha de seis anos, os amiguinhos já me reconhecem…! Sempre fiz nu pela grana, parece que não, mas sou muito reservada com o meu corpo, sou tímida.

Você ainda tem uma imagem de uma mulher sensual, mesmo sendo atriz de teatro e tudo mais. Como você lida com isso?
Luiza Ambiel: Trabalho até hoje a minha cabeça. Acho que fica ridículo ficar só na sensualidade. Até hoje me chamam para fazer eventos com banheira, como é que eu vou fazer isso com 42 anos? Até brinco no meu espetáculo dizendo que antes andava nas ruas e o público me chamava de ‘menina da banheira’, depois de um tempo era ‘moça da banheira’, hoje já é ‘mulher da banheira’, daqui uns dias vai ser ‘velha da banheira’. O público pira, mas é verdade. Hoje me chamam para fazer algumas coisas que não são tão bacanas, se você fizer, se queima, então trabalho isso também. Penso muito no futuro.

Você sempre foi muito discreta em sua vida pessoal. Está solteira?
Luiza Ambiel: Realmente sou reservada neste assunto. Tenho uma pessoa, entre idas e vindas, há oito anos, que é o pai da minha filha e está tudo certo.

Você está com 42 anos, mas o corpo é de dar inveja a muita menininha. Como é sua rotina com a vaidade?
Luiza Ambiel: Eu poderia estar até melhor se não fosse tão sem vergonha com a alimentação. Sou muito vaidosa, não admito ter celulite, barriga, não gosto de braço largo, gosto de estar bonita. Mas não é só malhar, tem que estar bem de cabeça e ter uma alimentação saudável. Faço musculação e dança duas vezes por semana e estéticas.

Já fez plásticas? Tem problemas com isso?
Luiza Ambiel: Eu coloquei silicone e troquei depois que minha filha nasceu porque encapsulou a prótese. Eu faço botox, cuido da pele e vou preencher uma linha de expressão em breve (risos).

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade