Ex-adjunto da Segurança exonerado critica decisão da governadora

Motivo do afastamento seria uma futrica palaciana que envolveu a presença do policial numa reunião com Robinson Faria

Silva Junior alega "politicagem" como causa da sua exoneração. Foto: Divulgação
Silva Junior alega “politicagem” como causa da sua exoneração. Foto: Divulgação

O agente da Polícia Federal Clidenor Cosme da Silva Júnior, exonerado ontem, do cargo de secretário adjunto da Segurança Pública e Defesa Social do RN (Sesed), alegou que seu afastamento teve como principal motivo, a “politicagem”. De acordo com a entrevista, o agente explicou que a presença dele em uma reunião com o vice-governador Robinson Faria teria chegado até o Gabinete da Casa Civil.

“A motivação, segundo me foi passado, seria uma futrica palaciana que envolveu minha presença numa reunião com o vice-governador do Estado”, revelou o ex-secretário em entrevista ao portal G1/RN.

Segundo Clidenor Silva Júnior, a reunião em que ele participou, foi a convite da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), para solicitar , através do vice-governador, apoio do seu filho, o deputado federal Fabio Faria (PSD), na aprovação da PEC 51. O Projeto de Emenda Constitucional, que trata da reestruturação das Polícias, está em tramitação na Câmara Federal.

Ainda conforme a reportagem do G1, a Secretaria da Casa Civil que, de acordo com Silva Júnior, seria a responsável pelo afastamento, foi procurada, mas o secretário Carlos Augusto, marido da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) não quis se pronunciar sobre o assunto.

O secretário de Segurança, Aldair da Rocha, também foi procurado, mas não atendeu e também não retornou as ligações. Ele participa de reuniões em Brasília, onde está há alguns dias, até o fim desta semana.

Com a saída da Sesed, Silva Júnior retorna ao quadro da Polícia Federal do RN. “Esse tipo de atitude – motivo da exoneração – não constrói nada no Estado. Temos muito mais com o que nos preocupar”, criticou.

Compartilhar:
    Publicidade