Ex-corintiano é apontado como possível dedo-duro e pode deixar o Boca Juniors

Em meio a uma terrível crise no clube argentino, Burrito Martínez perdeu espaço com treinador

Após briga entre jogadores, Martínez foi afastado por Bianchi. Foto:Divulgação
Após briga entre jogadores, Martínez foi afastado por Bianchi. Foto:Divulgação

O atacante Juan Manuel Martínez deixou o Corinthians após o título mundial de 2012, insatisfeito com as poucas chances que recebeu do técnico Tite. E pouco mais de um ano depois, Burrito vive situação ainda pior, no Boca Juniors.

Em meio a uma terrível crise no vestiário, que incluiu agressões do volante Ledesma ao goleiro Orión, Martínez foi escolhido como bode expiatório pelo treinador Carlos Bianchi e pode deixar o clube em breve.

A confusão teve início na última sexta-feira (7), quando a imprensa argentina noticiou a briga entre os atletas. Inconformados com o vazamento da notícia, o capitão Riquelme e o técnico Bianchi convocaram jornalistas para pedir a cabeça do dedo-duro. O camisa 10 foi além e disse que se a imprensa não entregasse o informante, nenhum jogador do Boca daria mais entrevistas.

Naturalmente, a atitude pegou muito mal e Riquelme tratou de botar panos quentes nos dias seguintes. Para amenizar a terrível situação, a equipe conseguiu uma importante vitória sobre o Racing, fora de casa, por 2 a 1 no fim de semana.

Uma atitude de Bianchi, porém, chamou a atenção após a partida. Antes titular absoluto, Burrito Martínez concentrou com o grupo, mas acabou ficando de fora até do banco de reservas.

Na última quinta-feira (13), o ex-corintiano concedeu entrevista ao diário Olé e se defendeu das suspeitas de ter rachado o elenco. Martínez garantiu que não tem problemas com nenhum companheiro e acredita que a decisão de Bianchi foi de caráter técnico e não disciplinar.

“Não estou brigado com ninguém, pelo menos de minha parte. Nunca aconteceu de concentrar e não ir ao banco, mas quando fiquei sabendo, eu estava tranquilo, com a consciência tranquila. É apenas uma decisão do treinador, não sinto que queiram me mandar embora do Boca”.

Burrito não quis comentar sobre as palavras de Riquelme, mas negou que tenha participado do vazamento das notícias – tudo indica que o próprio Ledesma tenha sido o informante. O atacante terminou dizendo que não pensa em deixar o clube, mas fez questão de citar casos de outros jogadores que conseguiram sucesso ao deixar a equipe xeneize.

“Não penso em junho, só penso em voltar ao banco e depois em ser titular. Onde quer que eu esteja, vou olhar para frente. E sempre há vida após o Boca. Casos como o de Santiago Silva, Somoza e Acosta demonstram isso”.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade