Ex-dançarino da Xuxa conta como saiu do buraco e virou diretor da Globo

Vagner Pereira, o Fly, relata sua trajetória em livro recém-lançado; ele virou empresário e dá dicas em palestras sobre finanças pessoais

 

Vagner Pereira, o Fly: "sou tudo [profissionalmente]. Vou buscar dinheiro e trabalho em qualquer lugar."
Vagner Pereira, o Fly: “sou tudo [profissionalmente]. Vou buscar dinheiro e trabalho em qualquer lugar.”

“Queria soltar pipa e não tinha dinheiro”. Foi a partir dessa constatação que Vagner Pereira, mais conhecido como Fly, começou a trabalhar aos 13 anos, ainda que informalmente, catando ferro velho na periferia do Rio de Janeiro e encerando o chão dos vizinhos. Tudo a “qualquer troco”.

Hoje, aos 42 anos, Fly, ex-dançarino da Xuxa, é diretor da TV Globo, palestrante de educação financeira e empreendedor do ramo artístico e cultural, dono da Fly Produções.

Entre seus trabalhos, estão a vinheta de fim de ano da TV Globo e a direção do Show da Virada, ambos produzidos em 2013. No fim de dezembro, lançou também o livro “Como saí do buraco”, em coautoria com a roteirista Isadora Andrade.

Fly começou a carreira de dançarino aos 14 anos, quando decidiu montar o grupo de dança “You Can Dance”, inicialmente para fazer sucesso com as mulheres. “Era aquela clássica fase de querer beijar na boca”, recorda.

O projeto, contudo, fez sucesso além do esperado e Fry começou não só a ganhar dinheiro dançando, como também a ficar famoso no Brasil inteiro. Neste período, foi chamado para trabalhar com a Xuxa e com o DJ Malboro.

Ostentação

Jovem e inexperiente, Fly foi levado pelo mundo da fama na década de 1990 e passou a ostentar roupas caras e carros de luxo — estilo de vida que não tinha condições de manter. Foi quando sua carreira atingiu o limite do sucesso e Fly viu-se perdido em meio a dívidas.

No mesmo período, Fly também tornou-se empresário do ramo de academias com a “Dance com o Fly”. O empreendimento não deu certo e fechou em menos de um ano — contribuindo ainda mais para a dívida do dançarino.

“Quando vi que quebrei a minha empresa, comprei a parte do meu sócio e pensei em administrar o ‘You Can Dance’, mas também não deu certo. Cheguei a ter pendências financeiras com bancos, amigos e parentes. Só não me envolvi com agiotas”, recorda o empresário.

Para se reerguer, Fly buscou ajuda na literatura. Chegou a ler “mais de 50 livros” sobre educação financeira e passou dias tentando colocar em prática as estratégias aprendidas. “Aprendi a viver na realidade e não gastar mais do que ganhava. E mais importante ainda, aprendi a negociar com os meus credores”, conta Pereira.

Do buraco, o empresário tirou um aprendizado: passou a investir nos estudos para crescer dentro da TV Globo e a economizar o dinheiro que ganhava na emissora e nos trabalhos que realizava como coreógrafo. Além disso, voltou-se a uma nova profissão: a de consultor e palestrante financeiro.

Nessa reviravolta, a antiga empresa de Fly passou a gerir a carreira do dançarino e também a atuar no ramo de entretimento e cultura. “O que antes dava prejuízo passou a gerar lucro”, compara ele.

“O brasileiro sempre reclama do salário, que as contas fecham no vermelho. No lugar de reclamar, ele deve buscar uma nova oportunidade ou aprender a viver com o que ganha, readequando seu padrão de vida. É preciso ser realista”, aconselha Fly.

Multifacetado, o empresário possui quase 4 mil bailarinos cadastrados em sua empresa e realiza em torno de 12 palestras por mês — o faturamento não é divulgado pela companhia.

“Se um dia eu perder tudo novamente, faço palestras, animo festas, vendo produtos porta a porta e até encero a casa dos vizinhos novamente. Sou tudo [profissionalmente]. Vou buscar dinheiro e trabalho em qualquer lugar”, reflete o empresário.

Lançamento do livro

A história do diretor e detalhes de como ele se recuperou financeiramente, após perder tudo em meio a dívidas, estão retratados no livro “Como saí do buraco”, lançado no final de dezembro e escrito em parceria com Isadora Andrade, roteirista da TV Globo.

Livro: Como saí do buraco: desafie também os seus limites
Autores: Fly e Isadora Andrade

Fonte:IG

Compartilhar: