Ex-ministro José Dirceu é ‘rebaixado’ de posto em emprego na biblioteca

Função mudou depois de fiscalização e protesto do Conselho de Biblioteconomia de Brasília

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Contratado para organizar e cuidar da biblioteca de um escritório de advocacia em Brasília, o ex-ministro José Dirceu foi “rebaixado” de posto no local de serviço, onde trabalha cumprindo a condenação no regime semiaberto. Após fiscalização e protesto do Conselho Regional de Biblioteconomia de Brasília, Dirceu não está mais exercendo a função de catalogar e classificar as publicações, atividades próprias de um bibliotecário formado. O ex-ministro, agora, é um digitador de fichas no escritório do advogado José Gerardo Grossi.

Dirceu digita as fichas dos livros produzidas pela bibliotecária Valéria Gameleira da Mota, que trabalha com Grossi. A amigos próximos, o petista reclamou que considera sua nova função é um tédio. Grossi teve que enviar um ofício ao Conselho de Biblioteconomia garantindo que Dirceu “está digitando fichas do meu escritório”.

“O Conselho de Biblioteconomia realizou fiscalização, motivado pelos inúmeros questionamentos recebidos sobre o trabalho exercido por José Dirceu, e não encontrou irregularidades ou exercício ilegal da profissão, já que as funções realizadas por José Dirceu são de digitação de fichas”, informou o conselho. Quando Dirceu terminar esse trabalho, segundo Grossi, ele executará trabalhos administrativos.

A presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia, Regina Céli de Sousa, afirmou que a função desse profissional é classificar, catalogar, relacionar assuntos e dar tratamento técnico ao acervo.

“Um bibliotecário que atua numa atividade jurídica acompanha a legislação publicada diariamente e organiza essas informações. Segue normas internacionais nesse trabalho”, disse Regina Céli, que exerce essa função também num grande escritório de advocacia de Brasília.

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade