Ex-prefeito condenado é nomeado para cargo comissionado na Prefeitura

A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Município. Flávio Veras foi nomeado em agosto, com outros 30 novos servidores

Flávio Veras foi envolvido em esquema de desvio por meio da contratação de bandas. Foto: Aléx Gurgel
Flávio Veras foi envolvido em esquema de desvio por meio da contratação de bandas. Foto: Aléx Gurgel

Depois que a Lei da Ficha Limpa foi aprovada no Congresso Nacional, impedindo que agentes políticos com condenações na Justiça assumissem cargos eletivos, vários estados e municípios copiaram a medida como forma de “moralizar” a gestão. Isso não chegou a Macau. Afinal, lá, o poder Executivo Municipal nomeou o ex-prefeito da cidade, Flávio Vieira Veras para o gabinete do atual prefeito, Kerginaldo Pinto, aliado político dele. O salário de Flávio Veras é de R$ 4,5 mil por mês.

A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Município de Macau. Flávio Veras foi nomeado em agosto, com outros 30 novos servidores. Essa foi uma das primeiras “grandes” nomeações do Município que, no primeiro semestre, enfrentou uma crise financeira que exigiu a exoneração de todos os cargos comissionados, causando uma verdadeira crise de relacionamento com os vereadores aliados – e que haviam nomeado parte dos comissionados da Prefeitura.

De qualquer forma, além de significar, aparentemente, o fim da crise financeira atravessada pelo Município, representa também a reaproximação da relação entre Flávio Veras e Kerginaldo Pinto. Lado a lado na eleição de 2012, quando o então prefeito Flávio Veras lançou e apoiou o nome de Kerginaldo para prefeito, os dois estavam distantes desde a Operação Máscara Negra, que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do ex-prefeito e levou à prisão a cúpula da administração da cidade vizinha, Guamaré.
O motivo da operação seriam irregularidades cometidas durante a gestão de Flávio Veras e do ex-prefeito de Guamaré na contratação de bandas e equipamentos para shows de emancipação política e Carnaval. A investigação, até o momento, não resultou em denúncia apresentada de maneira formal à Justiça.
Contudo, nem precisava disso para que Flávio Veras fosse considerado um “ficha suja”. Afinal, antes da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina (DEM), que sofreu 15 condenações na Justiça Eleitoral, o ex-prefeito de Macau era considerado o gestor mais condenado por desrespeitar a legislação eleitoral. Sofreu cinco condenações por compra de votos e conduta vedada. Uma delas, inclusive, resultou até no pedido de prisão de Flávio Veras. O processo, já transitado em julgado, no entanto, ainda não foi cumprido.

Compartilhar: