Exército antecipa entrega de obras no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Governadora garante continuidade das obras de acesso mesmo sem a liberação de recursos pelo Governo Federal

Solenidade de entrega foi realizada  na manhã de hoje e contou com  a presença da governadora Rosalba Ciarlini e autoridades políticas e militares. Foto: José Aldenir
Solenidade de entrega foi realizada
na manhã de hoje e contou com
a presença da governadora Rosalba Ciarlini e autoridades políticas e militares. Foto: José Aldenir

Roberto Campello
Roberto_campello1@yahoo.com.br

Depois de 16 anos de atividades, o Exército Brasileiro, por intermédio do Comando Militar do Nordeste, entregou na manhã desta sexta-feira (20)  as obras que estavam sob sua responsabilidade no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, novo complexo aeroportuário da Região Metropolitana de Natal. As obras estavam sendo executadas pelo 1º Batalhão de Engenharia de Construção (1º BEC). Desde 1996 que o Exército Brasileiro atua na área onde está sendo construído o novo aeroporto. O Exército entregou as pistas de pouso, pistas de táxi, infraestrutura de balizamento e proteção ao vôo, sistema de drenagem, pátio de estacionamento de aeronaves, e acesso terrestre dentro do sítio aeroportuário.

A solenidade de entrega das obras realizada na manhã de hoje marca o encerramento da participação do Exército Brasileiro na obra, e contou com a participação da governadora Rosalba Ciarlini, do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, do prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, autoridades estaduais e locais, além de autoridades militares.

O comandante do 1º Batalhão de Engenharia de Construção, coronel Sirnando Neves, disse que as ações desenvolvidas pelo Exército Brasileiro na área onde hoje está sendo construído o novo aeroporto é fruto de um termo de cooperação entre a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Exército Brasileiro. O primeiro convênio foi firmado em 1996 para realizar o levantamento topoaudiométrico da região. Em seguida, foram serviços de terraplenagem e desmatamento. As obras que foram entregues hoje foram antecipadas em dois meses, pois o prazo final seria dia 20 de fevereiro de 2014.

“As obras que estamos entregando hoje vão permitir que o consórcio que vai operar o Aeroporto possa realizar as intervenções necessárias para interligar os sistemas de todo o complexo aeroportuário”, destacou o comandante do 1º BAC. No auge da obra, cerca de 650 militares chegaram a trabalhar no local, de várias organizações militares.

A governadora Rosalba Ciarlini disse que a entrega das obras realizadas pelo Exército significa que a construção do novo aeroporto está na reta final. “Uma das partes mais importantes já foi feita, pois sem uma boa drenagem e uma boa pista não se tem um bom aeroporto. Quando assumimos, esse era um compromisso que tínhamos de fazer acontecer o aeroporto e já estamos na fase final. Dia 3 de abril será a chegada do primeiro vôo, o acesso Norte já estará pronto e até o final de maio o acesso Sul”, destacou.

Rosalba Ciarlini rebateu a informação de que a obra de acesso do novo aeroporto havia parado. Segundo a governadora, o Governo do Estado deu a ordem de serviço antes do Governo Federal ter dado a garantia da liberação dos recursos. “Inclusive, este mês já fizemos medições e se o Governo Federal não liberar os recursos o Governo do Estado arcará com os custos, pois não podemos ter nenhuma interrupção nas obras. Essa é uma responsabilidade nossa, pois ela é fundamental para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte”, destacou a governadora.

 

Obras

Dentre os principais serviços executado pelo Exército Brasileiro no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, podemos destacar a construção do pátio de aeronaves, uma estrutura de concreto de 74 metros de largura, 1.146 metros de comprimento e espessura média de 36 centímetros com bordos espessados para 45 centímetros, dimensionada para o estacionamento das maiores e mais pesadas aeronaves comerciais em operação atualmente.

Além da execução das pistas de pouso e decolagem, com extensão de 3.000 metros de comprimento por 75 metros de largura, possibilitando a aterrissagem de aeronaves do tipo A380, foram construídas, também, uma pista de táxi com 3.000 metros de comprimento por 60 metros de largura, que permitirá a aterrissagem de aeronaves de médio e pequeno porte.

A execução do serviço de concretagem do pátio exigiu um minucioso planejamento técnico e um cuidado especial com os detalhes de projeto para que a obra tivesse o padrão de qualidade exigido pela Infraero. Todas as fases do serviço foram desenvolvidas por mão de obra exclusivamente militar e exigiram atenção permanente, desde a seleção dos insumos, a definição do traço até a forma de execução.

Uma das preocupações principais foi o processo de cura do concreto, pois a região onde a obra foi realizada é particularmente afetada pelos ventos e pela incidência de sol. Em função dessas características e para amenizar a influência do clima no processo de cura do concreto, o serviço foi desenvolvido no período noturno, onde foi empregado um efetivo de 360 militares.

O processo de produção de concreto envolveu uma usina dosadora com capacidade de 65m3 por hora, além do transporte desse material em caminhões betoneira. A execução do pátio envolveu o posicionamento de formas fixas e o emprego de equipamentos como acabadora de concreto, espargidora de cura química, escavadeira, vibradores de imersão, torres de iluminação, dentre outros.

Compartilhar:
    • Fernando Hernandez da Silva

      Notícias que a imprensa nacional não divulga…