Expofruit 2014 é lançada com a expectativa de superar R$ 50 milhões em negócios

Até o lançamento da Expofruit 2014, 60% dos estandes já haviam sido vendidos

Exprofruit1

Carolina Souza

acw.souza@gmail.com

A seca prolongada, que prejudicou a atividade agropecuária no Rio Grande do Norte nos últimos dois anos, não será mais uma das protagonistas da crise econômica pela qual vem passando o Estado – pelo menos, não no que diz respeito a fruticultura irrigada. Produtores rurais, empresários, importadores, exportadores, atacadistas e distribuidores de frutas frescas produzidas em solo potiguar, como o melão e a melancia, estiveram reunidos na noite de ontem (7), em Mossoró, para o lançamento da Feira Internacional da Fruticultura Irrigada (Expofruit) 2014, que acontecerá entre os dias 24 e 26 de setembro deste ano. A perspectiva é de que a feira gere novas possibilidade de negócios, resgatando inclusive o que não pôde ser conquistado pelo mercado no ano passado.

Para o presidente do Comitê Executivo de Fruticultura do RN (COEX), Luiz Roberto Barcelos, órgão responsável pela realização da Expofruit, apesar de os índices de chuvas ainda estarem abaixo da média, o cenário está propício para atrair grandes investidores. “A expectativa é muito positiva, inclusive porque, neste ano, a feira será realizada em pleno período de safra. As pessoas que vierem, seja para expor ou para comprar, terão oportunidade de visitar as áreas de produção”, afirmou.

Segundo Luiz Roberto, em anos anteriores as pessoas vinham à Expofruit, mas quando iam visitar as produções não encontravam atividade. “Por essa mesma razão optamos por não realizar a Feira no ano passado. Não faria nenhum sentido realizar o evento com o Estado passando dificuldades com a seca e os municípios se abastecendo com suprimentos fornecidos por carros pipa. Isso não atrai investidores. Agora, com um cenário melhor e em pleno período de safra, poderemos aumentar o número de negócios”.

Realizada anualmente em Mossoró, a Expofruit possui uma mistura de frutas produzidas em todo o Rio Grande do Norte, com destaque para as regiões do Oeste e Vale do Assú. É considerada a feira de fruticultura tropical mais importante do país e que conquistou a atenção de grandes investidores e exportadores, responsáveis por levar grande parte da produção frutícola para diversos locais do mundo. O evento reúne delegações de países como França, Itália, Alemanha, Espanha, Holanda, República Tcheca, Bélgica, Noruega, Estados Unidos da América e Rússia, principais países que compõem o mercado de exportação do RN.

Até o lançamento da Expofruit 2014, 60% dos estandes já haviam sido vendidos e a expectativa é que esse número aumente a partir de agora. Durante o lançamento da feira foi apresentada a campanha publicitária deste ano que terá como tema “Venha Conhecer o Precioso Sabor da Nossa Região”. Serão disponibilizados 300 estandes distribuídos em um espaço de 15 mil m², que compõe a estrutura da feira. Cada stand possui 12m² e está disponível por R$ 2.500,00.

O diretor-técnico do Sebrae/RN, João Hélio Cavalcanti, parceiro na organização da Feira, tratou sobre a importância da Fruticultura do Rio Grande do Norte e suas perspectivas para o estado. Ele defendeu uma parceria mais eficaz entre a iniciativa privada e o Governo do Estado como forma de alavancar a economia da agricultura potiguar. A expectativa dos organizadores é que a Expofruit 2014 supere os números da edição de 2012, quando mais de 30 mil pessoas passaram pelo local do evento, além de alcançar a média de R$ 50 milhões de negócios realizados na feira.

Ainda durante a solenidade de lançamento da Expofruit, o reitor da Ufersa (Universidade Federal Rural do Semi-Árido), José de Arimatéia, disse que a instituição entra como parceira da Feira na parte científica e no treinamento, bem como com muitos profissionais que atuam na cadeia produtiva. “Com o crescimento da Ufersa, temos cada vez mais condições de formar profissionais para trabalhar nessa cadeia produtiva de grande sucesso, em diversas nuances. A Universidade quer ser uma parceira mais presente, podendo trabalhar mais ativamente não só no treinamento e na produção de conhecimento, utilizando a sua expertise de tantos anos na área, mas também ser uma facilitadora de negócio. Hoje, nós temos uma nova Expofruit e queremos aprimorar ainda mais essa cadeia”, destacou o representante da Ufersa.

 

Compartilhar:
    Publicidade