Exposição de carros antigos começa sábado no pátio do Ginásio Nélio Dias

Cerca de 200 carros com mais de 30 anos de lançamento vão estar à disposição dos visitantes

Clube-de-carros-antigos---Andre-Barbosa-e-Heriberto-Souza-WR

Carros antigos não permitem apenas percorrer distâncias físicas, mas também retornar anos no tempo. Pelo menos essa é a promessa do 2º Exposição de Carros Antigos da Zona Norte de Natal. O evento começa na próxima sexta-feira (30) e vai até o dia primeiro de junho no pátio do Ginásio Nélio Dias.

De acordo com o presidente do Clube de Carros Antigos do Rio Grande do Norte (CCA/RN), Heriberto Sousa, cerca de 200 carros com mais de 30 anos de lançamento estarão expostos para o público. Para guiar os visitantes nessa viagem, os proprietários contarão a história de cada modelo, ano de fabricação e outros detalhes do automóvel.

Nesta edição, carros de combate do Exército Brasileiro da época da Segunda Guerra Mundial farão parte da exposição. Serão jipes e caminhões com mais de 70 anos de preservação. De acordo com o vice-presidente do Clube, André Barbosa, o carro mais antigo a participar da exposição é um Ford de 1928. “Tem carro de 30, 50 anos e uma va riedade enorme de modelos. A intenção é estimular a zona Norte a criar um novo clube”, disse.

Fundado em 2002, o CCA/RN agora quer um museu para expor seus exemplares. “A gente tem muitos carros guardados na garagem. Quando a gente fundar um museu, isso vai trazer renda para o turismo do Estado”, falou Barbosa. No Nordeste, Ceará e Bahia possuem clubes com o intuito de preservar a história contada por meio do “antigomobilismo”.

Os sócios do clube irão sugerir às autoridades públicas que doem um terreno para iniciar o projeto do museu, mas ainda não realizaram articulações políticas decisivas, apenas conversaram com parlamentares. “A gente chega no sul do país, toda cidadezinha do Interior tem um clube de carros antigos. No interior de São Paulo e Paraná é só o que tem”, comentou o presidente do Clube do RN, Heriberto de Sousa. A responsabilidade por equipar e manter o museu seria dos sócios.

O CCA/RN é o único clube que emite a certificação para a placa preta no Estado. “Um veículos que ostenta a placa preta é um veículo diferenciado, de colecionador”, informou o presidente. Para conseguir esse status, o carro deve atender a três requisitos: ter mais de 30 anos de lançamento; 80% de peças originais e pertencer a um clube. Depois de receber esse certificado do clube, o colecionador pode dar entrada no processo para placa preta no Detran. O Clube de Carros Antigos do RN também é o único filiado à Federação Brasileira de Veículos Antigos.

De acordo com André Barbosa, a primeira exposição do tipo na região Norte da cidade foi realizada cerca de quatro anos atrás pelo extinto Clube de Carros Antigos da Zona Norte. No evento deste final de semana, a entrada custará R$ 5,00. O Clube do Gol Quadrado e Clube do Opala também contribuirão com seus exemplares. Paralelamente, haverá 40 bancas de artesãos e um parque de diversão para crianças.

Papa sócio

O Papa Francisco ganhou de um padre italiano um Renault 4, de 1984, em setembro passado. O veículo tem mais de 300 mil quilômetros rodados. Mesmo assim conseguiu rodar pelas ruas do Vaticano. O modelo é o mesmo que o papa teve ainda quando estava na Argentina no passado. A iniciativa do padre Renzo Rocca se deu em decorrência da mensagem de simplicidade que o santo padre passa para todos os sacerdotes da Igreja. Por isso, presenteá-lo com um carro antigo.

Diante disso, o Clube de Carros Antigos do Rio Grande do Norte resolveu enviar a documentação de filiação para o Papa Francisco ingressar como sócio honorário da entidade. Os documentos foram redigidos em espanhol, sua língua mãe, e enviados ao Vaticano. “Estamos esperando o resultado. Tenho fé em Deus que ele vai responder”, acredita Heriberto de Sousa.

Compartilhar: