Extrato entrega traição, casal se separa e marido receberá R$ 30 mil do banco

Além dos dados, instituição afirmou que homem tinha amante em Goiânia

Auditoria comprovou que banco repassou informações indevidamente. Foto: Divulgação
Auditoria comprovou que banco repassou informações indevidamente. Foto: Divulgação

O BRB (Banco Regional de Brasília) foi condenado a indenizar um cliente, cuja mulher teve acesso a seus dados bancários e descobriu suposta infidelidade conjugal. Segundo o TJDF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal), o valor da indenização é de R$ 30 mil.

Segundo o autor da ação, sua mulher, através de uma funcionária do banco, teve acesso a seus extratos bancários e descobriu despesas que geraram dúvidas quanto à sua fidelidade conjugal. Após o episódio, o casal se separou, o que teria lhe causado uma depressão e a necessidade de usar remédios controlados.

O fato de as informações bancárias terem sido fornecidos à mulher foi comprovado por meio de auditoria interna depois que o cliente reclamou no Serviço de Atendimento ao Cliente. De acordo com o processo, o BRB comunicou: “identificamos acesso não autorizado à sua conta. A funcionária identificada foi demitida, não exercendo mais qualquer atividade nesta instituição financeira. Pedimos desculpas pelo ocorrido, pois sempre zelamos pela segurança e sigilo das informações bancárias de todos os nossos clientes”.

Não satisfeito, o autor do processo ajuizou ação de indenização, na qual pediu R$ 500 mil pelos danos morais sofridos.

Segundo a Justiça, em contestação, o BRB defendeu que o comportamento “desleal” do autor, com supostas idas para a cidade de Goiânia (GO), por qualquer motivo e sem comunicar a mulher, motivaram o rompimento do seu relacionamento conjugal, e não a quebra do sigilo bancário.  

O banco recorreu à decisão, mas a condenação foi mantida, devido à quebra do sigilo bancário.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade