Falido, deputado deixa comando do PSD a mando de Gilberto Kassab

Falido, por decisão do Tribunal de Justiça, João Lyra tem uma fortuna declarada ao TSE de R$ 200 milhões e uma dívida de R$ 2 bilhões

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Após perder o comando das empresas (decretadas falidas pela Justiça) e ser proibido de entrar nelas (por ameaças aos interventores), o deputado federal João Lyra – congressista mais rico do País – foi destituído da presidência estadual de seu partido, o PSD, em Alagoas. A decisão é do presidente nacional, Gilberto Kassab.

O novo presidente é o deputado estadual Dudu Holanda (PSD), que será candidato a uma cadeira na Câmara dos Deputados. Lyra é candidato à reeleição.

“Ele convidou a mim e ao presidente João Lyra, que não compareceu, e nos fez relembrar os compromissos nacionais assumidos, bem como os compromissos locais, como o apoio ao PMDB”, explicou Holanda, ao citar Kassab e João Lyra.

Lyra se recusou a apoiar o PMDB em Alagoas e declarou que o PSD no Estado estaria ao lado do PP, do senador Benedito de Lira, candidato ao governo. O PSD , em Alagoas, é ligado ao presidente do Senado, Renan Calheiros, e ao senador Fernando Collor (PTB). Nesta sexta, os 14 partidos da frente de oposição – incluindo o PSD – lançaram Collor à reeleição e o deputado federal Renan Filho (PMDB) ao governo.

Em nota, João Lyra negou a decisão de Kassab.“O PSD/AL foi constituído em 2011, assim como seu comando, e seus dirigentes permanecem no cargo até 2014”.

Falido, por decisão do Tribunal de Justiça, João Lyra tem uma fortuna declarada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de R$ 200 milhões e uma dívida de R$ 2 bilhões. Os funcionários de suas empresas – em Alagoas e Minas Gerais – não recebem há, pelo menos, quatro meses. Bancos brasileiros e europeus estão entre os seus credores.

Fonte: Terra

Compartilhar: