Família autoriza doação de órgãos de cinegrafista atingido por rojão

Jornalistas e fotógrafos fazem passeata em homenagem a Santiago Andrade

 

Santiago Andrade foi atingido por um rojão durante protesto André Mourão/Agência O Dia/06.01.2014
Santiago Andrade foi atingido por um rojão durante protesto
André Mourão/Agência O Dia/06.01.2014

A família de Santiago Andrade, que foi atingido por um rojão durante um protesto na última quinta-feira (6), disse que vai doar os órgãos do cinegrafista. A informação foi divulgada pela rádio BandNews, após a morte cerebral da vítima ser diagnosticada. A Secretaria de Saúde diz não saber da informação, já que a família resolve casos de doação direto com o hospital.

Segundo a Band, fotógrafos e jornalista vão fazer uma passeata em homenagem a Santiago na tarde desta segunda-feira (10). O ato estava marcado para sair às 16h da Central do Brasil e seguir até o prédio da emissora, em Botafogo, zona sul do Rio.

Santiago Andrade teve morte cerebral confirmada na manhã desta segunda-feira, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Ele foi atingido por rojão durante manifestação contra o aumento de passagens de ônibus, na quinta-feira passada.

O cinegrafista estava internado no CTI do Hospital Souza Aguiar há quatro dias. De acordo os médicos, as primeiras 72 horas eram fundamentais para saber a evolução do quadro, mas o cinegrafista não resistiu às lesões causadas.

É o primeiro caso fatal envolvendo jornalistas atacados durante os protestos de rua. Segundo a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), desde o início da onda de protestos, foram registrados 117 casos de violência contra profissionais da imprensa. Um dos suspeitos flagrados com o artefato que atingiu Santiago se apresentou à polícia na madrugada de sábado (8). Fábio Raposo, de 22 anos, disse ter repassado o rojão a um homem, que seria o responsável por acendê-lo. Raposo foi indiciado por tentativa de homicídio e crime de explosão e foi preso na manhã de domingo, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio.

O advogado Jonas Tadeu, que defende Raposo afirmou já saber a identidade do manifestante responsável por disparar o artefato. Em entrevista à rádio CBN, Tadeu confirmou que levava o nome do rapaz à polícia. Ele teria conseguido a informação através de um outro manifestante.

— Em um determinado momento em que eu fiquei sozinho com o Fábio, ele pediu que eu procurasse uma determinada pessoa e que essa pessoa ia me passar a identificação do rapaz. Eu já tenho essa identificação, mas eu vou passar para a autoridade policial. Eu já tenho o nome do rapaz.

O advogado passou toda a manhã de domingo (9) tentando convencer Fábio Raposo a aceitar a deleção premiada. À tarde, em novo depoimento, o jovem disse à polícia que, apesar de não conhecê-lo intimamente, seria capaz de reconhecer o responsável por disparar o rojão. É possível que Raposo ajude na confecção de um retrato falado ainda nesta segunda-feira (10).

A seguir, nota da Secretaria Municipal de Saúde:

“A Secretaria Municipal de Saúde lamenta informar a morte encefálica do paciente Santiago Ilídio Andrade, diagnosticada nesta segunda-feira (10) pela equipe de neurocirurgia do Hospital Municipal Souza Aguiar, onde ele está internado no Centro de Terapia Intensiva desde a noite de quinta-feira.

A pedido da família, a SMS torna público o agradecimento a todos os que torceram pelo seu restabelecimento e que, num ato de solidariedade, atenderam ao chamado para doar sangue ao Hemorio.”

 

Fonte: R7

Compartilhar: